Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Justiça decidirá último recurso de Assange em 30 de maio

Australiano luta contra extradição à Suécia, onde é acusado de agressão sexual

Por Da Redação
23 Maio 2012, 10h09

A Suprema Corte britânica anunciou nesta quarta-feira que, no dia 30 de maio, divulgará sua decisão sobre o último recurso apresentado pelo fundador do WikiLeaks, Julian Assange, contra sua extradição à Suécia como suspeito de quatro crimes de agressão sexual. A Suprema Corte examinou nos dias 1 e 2 de fevereiro o recurso do ex-hacker australiano de 40 anos para evitar sua extradição à Suécia, no último capítulo de uma batalha judicial que começou com sua detenção no dia 7 de dezembro de 2010.

Leia também:

Leia também: Julian Assange, do WikiLeaks, resolve virar político

“O veredicto será comunicado às 9h15 locais (5h15 de Brasília) em uma exibição que durará cerca de 10 minutos”, disse em um comunicado a Justiça britânica. A máxima instância judicial da Grã-Bretanha admitiu o recurso no fim do ano passado, ao considerar que o caso de Assange levantava uma questão jurídica de “interesse geral”, sobre se um promotor tem poder para requerer uma extradição, como ocorreu no caso de Assange. A defesa do australiano, que se encontra em regime de prisão domiciliar à espera da decisão, argumentou ao longo de todo o processo que a Ordem de Prisão Europeia, que conduziu a sua detenção em dezembro de 2010, não tem validade porque foi emitida por um promotor. Assange nega ter cometido as quatro agressões sexuais, incluindo um estupro, denunciadas por duas mulheres e pelas quais até agora não foi formalmente acusado na Suécia, embora admita ter tido relações consensuais com ambas durante um período em Estocolmo. Desde o início, o acusado afirma que o caso tem motivos políticos por suas atividades no WikiLeaks, e teme ser extraditado em última instância aos Estados Unidos, país que buscou, até agora em vão, uma forma de acusá-lo de espionagem. Se a Suprema Corte britânica aprovar sua extradição, como já fizeram anteriormente um tribunal de primeira instância e o Tribunal Superior, Assange ainda poderá se voltar para a Corte Europeia de Direitos Humanos de Estrasburgo (França). (Com agência France-Presse)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.