Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Justiça da China inocenta homem executado há 21 anos

Nie Shubin foi fuzilado aos 20 anos após ser condenado culpado por estupro e homicídio

A Justiça da China inocentou nesta sexta-feira um homem executado há 21 anos por estupro e homicídio. Nie Shubin foi fuzilado em 1995, aos 20 anos, após ser condenado culpado por um tribunal em Shijiazhuang, na província chinesa de Hebei.

Duas décadas depois de sua morte, a Suprema Corte do país determinou que os fatos nos quais o julgamento se baseou foram “obscuros” e as provas eram “insuficientes” para sua condenação, o que gerou dúvidas sobre a hora e a causa da morte e a arma do crime, reportou a emissora americana CNN.

Há dez anos, um chinês confessou ter cometido o crime, mas sua declaração não foi aceita pela Justiça. Wang Shujin havia sido condenado à morte pelo estupro de outras três mulheres e assassinato de duas delas, e confessou o crime de 1994, pelo qual Nie foi condenado. Os promotores viram contradições nos relatos e não aceitaram a confissão.

A família de Nie Shubin continuou sua campanha para tentar provar a inocência do rapaz mesmo após sua execução. “Eu queria poder dizer ao meu filho: vocês é uma boa pessoa, você é inocente”, disse à CNN Zhang Huanzhi, mãe de Nie.

A Justiça chinesa tem uma taxa de condenação de mais de 99%, segundo a rede britânica BBC. Embora os dados oficiais não sejam divulgados, estima-se que haja milhares por ano, e grupos de direitos humanos denunciam que muitas confissões são extraídas sob tortura.

 

 

 

 

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Justiça assumindo um erro já abafado. No mínimo descente foi. Pense se fosse no Brasil.

    Curtir