Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Junta Militar teria oferecido chefia do Governo a ex-primeiro-ministro

Cairo, 24 nov (EFE).- A Junta Militar do Egito ofereceu nesta quinta-feira a chefia do Governo a Kamal al Ganzuri, ex-primeiro-ministro do país de 1996 a 1999, embora este ainda não tenha aceitado oficialmente o cargo, informou à Agência Efe um ministro do Executivo atual.

O chefe da Junta Militar, o marechal Hussein Tantawi, recebeu a Ganzuri, de 78 anos, na sede da Secretaria Geral do Ministério da Defesa, de acordo com informações da agência estatal ‘Mena’.

‘O que houve foi uma reunião, já que o marechal Tantawi recebeu o ex-primeiro-ministro Ganzuri, mas não houve incumbência (para formar um Governo). Se tivesse sido assim, já teríamos anunciado oficialmente nos meios estatais’, afirmou um porta-voz da Junta Militar, depois que várias fontes anunciaram a formação de um novo Governo.

No dia 2 de janeiro de 1996, o então presidente Hosni Mubarak, que renunciou no último dia 11 de fevereiro após uma revolta popular, nomeou Ganzuri primeiro-ministro e pediu a conclusão da reforma econômica que contemplava a privatização do setor público.

Após a revolução que derrubou Mubarak, Ganzuri se mostrou publicamente a favor dos manifestantes da Praça Tahir em várias ocasiões.

Em entrevista ao jornal ‘Al-Masri Al-Youm’ no dia 14 de fevereiro, Ganzuri declarou que ‘o regime demorou muito a abordar a crise, e se Mubarak tivesse dissolvido o Governo, designado um vice-presidente e anunciado uma emenda constitucional ainda no dia 25 de janeiro, a situação não tinha chegado tão longe’.

Antes de assumir esse cargo, Ganzuri tinha sido vice-primeiro-ministro e titular de Planejamento, e começou em 1991 a primeira etapa da reforma econômica em cooperação com o Fundo Monetário Internacional (FMI) e o Banco Mundial (BM).

Ganzuri, formado em Agricultura e doutorado em Economia nos Estados Unidos, desempenhou um papel importante nas negociações entre o Egito e o FMI e o BM para a aplicação do programa de reforma.

A ativista e porta-voz do Partido Social-Democrata, Hala Mustafa, disse à Efe que a Praça Tahrir ‘rejeita’ Ganzuri e insistiu em suas reivindicações para que a Junta Militar abandone imediatamente o poder. EFE