Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Jovens negros são expulsos de loja da Apple na Austrália

Por Da Redação 12 nov 2015, 19h09

Um vídeo que mostra seis estudantes negros sendo expulsos de uma loja da Apple provocou comoção na Austrália nesta semana. As imagens mostram um funcionário pedindo aos adolescentes, todos usando uniformes escolares, para que saiam do local por temer que eles “roubem algo”. O incidente aconteceu em uma loja da Apple em Melbourne, no sudeste da Austrália, na última terça. A cena foi registrada por um dos estudantes, que publicou o vídeo no Facebook.

“Estes caras estão preocupados com a presença de vocês na nossa loja. Eles estão preocupados que vocês possam roubar alguma coisa”, diz o funcionário, ao lado de um segurança. “Por que nós roubaríamos?”, replica um dos alunos. “Fim da discussão”, responde o funcionário. “Vou pedir para vocês saírem da nossa loja.”

Leia também:

Mulher protagoniza protesto em discurso de Trump – e nenhum segurança percebeu

Austrália tenta conter motim em centro de detenção após morte de imigrante

Continua após a publicidade

Francis Ose, o aluno que publicou o vídeo no Facebook, classificou o episódio como “simplesmente racista”. Em entrevista a uma emissora de TV local, um dos jovens expulsos da loja disse ter ficado “chocado” com a situação. “Não acreditei no que ouvi. Éramos um grupo de adolescentes negros – e adolescentes fazem coisas estúpidas – mas mesmo assim você não pode estereotipar pessoas negras”.

Desculpas – A empresa informou estar averiguando os fatos. “Inclusão e diversidade estão entre os principais valores da Apple”, diz o comunicado da gigante da tecnologia. “Acreditamos na igualdade para todos, independentemente de raça, idade, gênero, identidade de gênero, etnia, religião ou orientação sexual. Isso se aplica a toda a empresa, em todo o mundo, sem exceções. Vamos fazer o possível para garantir que nossos consumidores sejam tratados da maneira que deveriam.”

Os jovens foram convidados a voltar à loja com o diretor da escola, e os funcionários pediram desculpas pelo ocorrido. “A gerente da loja disse que somos bem-vindos lá”, disse um dos alunos. “Parece que temos justiça agora.” Outro aluno do grupo, Mohamed Semra, publicou mais tarde na rede social que eles estavam satisfeitos com a resposta da Apple. “Eles pediram desculpas e nós estamos numa boa, não precisamos levar isso adiante”.

https://youtube.com/watch?v=nPk19ZJ4wr8

(Da redação)

Continua após a publicidade
Publicidade