Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Jovem saudita que fugiu da família chega ao Canadá

Ministra canadense elogiou "coragem" da nova cidadã; país é crítico antigo de políticas conservadoras da Arábia Saudita

Por Da Redação
12 jan 2019, 19h08

Rahaf al-Qunun chegou na manhã deste sábado, 12, a Toronto, no Canadá, onde viverá sob o status de refugiada. A jovem saudita ganhou fama global ao se trancar em um quarto de hotel na Tailândia para evitar a extradição para sua terra natal, fugindo dos abusos de familiares depois de renunciar ao islamismo.

Segundo a CNN, na área de desembarque do Aeroporto Interncional Pearson, Rahaf foi acompanhada pela ministra de Relações Exteriores do Canadá, Chrystia Freeland, que é abertamente crítica da prisão de dissidentes mulheres realizada pelo conservador governo da Arábia Saudita.

“Essa é Rahaf al-Qunun, uma corajosa nova canadense”, declarou Freeland aos jornalistas presentes enquanto abraçava a adolescente, que usava um moletom com a palavra Canadá inscrita.

A luta da jovem contra a deportação, enquanto tramitava seu pedido por asilo, cativou audiência global através do Twitter, em que a saudita angariou quase 150.000 seguidores. Em vídeos na rede social ela transmitia as etapas de sua resistência. Na sexta-feira 11, Rahaf desativou o perfil por temer represálias do regime saudita.

Continua após a publicidade

Vários países manifestaram interesse em abrigar al-Qunun, incluindo a Austrália, destino inicial da jovem, mas o Canadá agiu de maneira mais rápida.

“É algo que estamos felizes de fazer porque o Canadá é um país que entende o quão importante é defender os direitos humanos e das mulheres por todo o mundo”, declarou em coletiva de imprensa na sexta-feira 11 o primeiro-ministro canadense, Justin Trudeau.

Continua após a publicidade

Em sua conta no Twitter, o representante do setor de refugiados canadense na Organização das Nações Unidas (ONU), Jean-Nicolas Beuze, agradeceu a seu país por “agir rapidamente para oferecer uma solução de longo-prazo”.

“Refugiadas mulheres em risco por seu gênero são prioridade para reassentamento e nós sabemos que elas podem contar com o Canadá”, escreveu.

Em 2018, Canadá e Arábia Saudita tiveram conflitos a respeito do histórico conservador do Reino quanto aos direitos humanos. Em agosto, um tuíte da agência de Relações Exteriores do governo canadense, escrito em árabe, deu início a uma rusga entre as duas nações, em que diplomatas de Trudeau foram expulsos do território saudita e o governo do príncipe herdeiro Mohammed bin-Salman interrompeu algumas parcerias comerciais com o país.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.