Clique e assine com até 92% de desconto

Jornalista brasileiro é assassinado na fronteira com o Paraguai

Léo Veras foi morto com 12 tiros por dois homens encapuzados; polícia suspeita que crime foi cometido em represália a matérias sobre tráfico

Por Redação Atualizado em 27 fev 2020, 18h40 - Publicado em 13 fev 2020, 09h57

O jornalista brasileiro Léo Veras foi assassinado por pistoleiros nesta quarta-feira 12 em Ponta Porã, no Mato Grosso do Sul, na fronteira com o Paraguai. Segundo o chefe da polícia do departamento de Amambay, na cidade de Pedro Juan Caballero, o crime foi possivelmente cometido em represália às publicações de Veras no site que comandava.

O jornalista foi morto com doze tiros por dois homens encapuzados enquanto jantava com a família no quintal de sua casa, de acordo com o jornal paraguaio ABC Color. Veras tentou fugir quando viu os pistoleiros se aproximando, mas um dos disparos acertou sua cabeça.

O crime aconteceu por volta das 21h de quarta. O jornalista chegou a ser levado para o hospital, mas não resistiu aos ferimentos.

O chefe da polícia de Amambay, Ignacio Rodríguez Villalba, afirmou ao ABC Color que as autoridades já possuem informações sobre os suspeitos pelo crime. “Segundo certas informações, (o crime foi causado por) publicações que ele fez sobre o crime organizado. Nos últimos tempos, ele fez muitas publicações na fronteira”, disse Rodríguez.

  • A polícia afirmou ainda que Veras vinha recebendo ameaças de morte e que está fazendo “todo o possível” para solucionar o caso. Pedro Juan Caballero faz fronteira com Ponta Porã, cidade sul-mato-grossense a 342 quilômetros de Campo Grande.

    Léo Veras é bastante conhecido em Mato Grosso do Sul por seu trabalho. Ele era o dono do site de notícias policiais Porã News, que noticiava situações relacionadas ao tráfico de drogas.

    Continua após a publicidade
    Publicidade