Clique e assine a partir de 9,90/mês

Jornalista americana é libertada da prisão na Líbia

Quatro jornalistas do mesmo grupo permanecem detidos no interior do país. A soltura de Amanpour foi confirmada pelo filho de Kadafi

Por Da Redação - 19 mar 2011, 12h58

Segundo informações do jornal americano The New York Times, a jornalista Christiane Amanpour foi libertada pelas forças do ditador líbio Muamar Kadafi nesta sexta-feira (18). A informação foi confirmada pelo filho do ditador, Seif al-Islam Kadafi em uma entrevista à rede de ABC News. Amanpour era uma dos cinco jornalistas que foram detidos por forças do governo líbio desde a última terça-feira.

Não há informação sobre a soltura dos outros quatro do grupo, todos do jornal americano. Anthony Shadid, Stephen Farrell, Tyler Hicks e Lynsey Addario são jornalistas especializados na cobertura jornalística de conflitos.

Além das recentes prisões de jornalistas estrangeiros, a repressão de Kadafi à imprensa vitimou neste sábado (19) o jornalista líbio Mohammed Nabbous, fundador da agência de notícias Líbia Livre. O jornalista foi morto durante um ataque dos militares líbios à cidade de Bengasi.

Brasileiro – O jornalista brasileiro Andrei Netto, correspondente do jornal O Estado de S. Paulo, permaneceu detido pelo exército líbio durante uma semana, juntamente com o jornalista Abdul-Ahad, do jornal britânico The Guardian. Netto foi libertado após intensa negociação na última quarta-feira (16). Não há informações sobre a soltura de Abdul-Ahad.

Continua após a publicidade

Os jornalistas foram presos nos arredores da cidade de Zawiyah, à época controlada por rebeldes e palco de confrontos violentos. A rede inglesa BBC também informou que uma de suas equipes foi detida e agredida pelas forças líbias à caminho da mesma cidade.

Três jornalistas da equipe foram submetidos a ameaças durante 21 horas. O governo de Kadafi tem limitado o acesso de jornalistas ao país e recomenda que eles viajem acompanhados de uma autoridade.

Publicidade