Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

John Kerry viaja a Genebra para restaurar trégua na Síria e deter banho de sangue em Aleppo

Série de ataques recentes deixou mais de 250 civis mortos, incluindo 50 crianças

Por Da Redação 2 Maio 2016, 12h46

O secretário de Estado americano, John Kerry, se encontrou nesta segunda-feira, em Genebra, com o mediador das Nações Unidas (ONU) Staffan de Mistura para discutir a situação do conflito na Síria e formas de restabelecer o cessar-fogo no país. A trégua em território sírio havia sido decidida em fevereiro, mas foi rompida pelo governo de Bashar al-Assad, que lançou uma ofensiva contra a cidade rebelde de Aleppo em 22 de abril. Até agora, esses ataques já deixaram mais de 250 civis mortos, incluindo 50 crianças. Kerry se referiu a essas vítimas e aos bombardeios a três centros médicos, lembrando que somente Assad e seus aliados russos têm a capacidade militar para realizar tais ataques. O regime sírio justifica a ofensiva contra Aleppo pela presença da Frente Al-Nosra, braço sírio da Al-Qaeda.

Leia também:

Bombardeios no noroeste da Síria ameaçam conversas de paz

Clínica médica é atacada após tragédia em hospital de Aleppo

Governo sírio bombardeia hospital em Aleppo; ao menos 20 morreram

EUA punem militares por ataque a hospital no Afeganistão

Os Estados Unidos e Rússia são os dois países mediadores do processo de paz na Síria, embora Moscou seja aliado do governo Bashar al-Assad. Mesmo assim, Kerry disse que está trabalhando junto com os russos para tentar restabelecer a trégua, e que conta com o apoio das outras nações com influência sobre os beligerantes, incluindo Arábia Saudita, Catar, Turquia e Irã. Ainda nesta segunda-feira, Kerry deve se encontrar com o ministro das Relações Exteriores da Arábia Saudita, Adel Al Jubeir. O saudita declarou que “o que acontece em Aleppo é uma vergonha”, “uma violação humanitária” e “um crime”.

Paz – Para Staffan de Mistura, caso as duas potências não cheguem a um acordo, dificilmente serão registrados avanços. Kerry assumiu que, sem uma trégua em todo o território sírio, não será possível retomar o processo de negociações de paz na ONU. “O objetivo é voltar às negociações de paz, mas isto não será alcançado até que haja uma cessação de hostilidades em vigor em todo o país, e até que se possa distribuir assistência humanitária a todo o país sem restrições”, concluiu o americano, que chegou a dizer que o conflito na síria, “em muitos aspectos, está fora de controle”.

(Com EFE)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)