Clique e assine a partir de 8,90/mês

John Kerry vai ao Egito para acalmar os árabes

O secretário de Estado americano esteve no Cairo para tentar tranquilizar a região sobre o acerto nuclear com o Irã

Por Da Redação - 2 ago 2015, 14h53

O secretário de Estado americano, John Kerry, visitou o presidente do Egito, Abdel Fattah Sisi, no Cairo. Seu objetivo maior foi o de acalmar o egípcio em relação ao acerto nuclear feito com o Irã.

Embora o acordo fale em conter o projeto atômico dos persas, a infraestrutura do país, como as centrífugas de enriquecimento de urânio, seguirá intacta. Com isso, O Irã poderá retomar o projeto da bomba no futuro. A possibilidade também preocupa Arábia Saudita, Catar, Kuwait, Oman, Bahrein e Emirados Árabes Unidos. Líderes de todos esses países farão reuniões com Kerry nos próximos dias.

As relações entre Estados Unidos e Egito ficaram tensas quando os americanos apoiaram o governo do engenheiro Mohamed Mursi, membro da Irmandade Muçulmana. Mursi foi deposto por um golpe de Estado, comandado por Sisi, que depois se elegeu presidente. A aproximação americana com a Irmandade no passado irritou os militares e a população egípcia, que passaram a ver os Estados Unidos com desconfiança.

A conversa no Cairo vem em boa hora porque Kerry e Sisi possuem objetivos comuns. Ambos países estão lutando contra o extremismo religioso. Seja os grupos apoiados pela Irmandade Muçumana, como o Hamas, ou outros como o Estado Islâmico, EI.

Kerry disse que a campanha contra o terrorismo terá sucesso no longo prazo somente se o governo fizer mais para promover um sistema político aberto e com imprensa livre. “Todos nós sabemos que derrotar o terrorismo exige uma estratégia de longo prazo. Ações de segurança nas fronteiras e aplicação da lei são partes significantes desta equação, mas é preciso, em primeiro lugar, persuadir e impedir que jovens se voltem para o terror”, disse.

Continua após a publicidade
Publicidade