Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Jimmy Carter resgata prisioneiro americano

Ex-presidente americano deixou Pyongyang nesta sexta-feira ao lado de americano condenado a oito anos de trabalhos forçados no país asiático

O ex-presidente americano Jimmy Carter deixou Pyongyang nesta sexta-feira levando em seu avião um cidadão americano que estava detido desde janeiro no país comunista, informou a agência oficial norte-coreana KCNA.

Carter permaneceu três dias na capital norte-coreana para conseguir a libertação de Aijalon Mahli Gomes, um americano de 30 anos que em abril foi condenado a oito anos de trabalhos forçados e uma multa de 600.000 por entrar ilegalmente na Coreia do Norte em 25 de janeiro.

Em comunicado, o Centro Carter, com base em Atlanta (EUA), confirmou que Gomes viaja com o ex-presidente em seu avião, que chegará ainda nesta sexta-feira a Boston para se reunir com sua família. “A pedido do presidente Carter, e por razões humanitárias, o presidente da Comissão Nacional de Defesa, Kim Jong-il (o líder norte-coreano), concedeu uma anistia ao senhor Gomes”, indicou o comunicado do Centro Carter, que explica que a missão teve caráter privado e não teve participação do Governo dos Estados Unidos.

O ex-presidente americano tinha ampliado em um dia sua estadia em Pyongyang, onde na quarta-feira à noite se reuniu com o “número dois” do regime, Kim Jong-nam, mas não com o líder norte-coreano, que fez uma viagem surpresa à China.

Libertação – A agência KCNA assinalou que a libertação de Gomes aconteceu por razões humanitárias e depois que Carter fez um pedido de “desculpas” pela entrada ilegal do cidadão na Coreia do Norte e garantiu que não voltariam a acontecer casos semelhantes.

A libertação de Gomes é, segundo a agência oficial norte-coreana, uma “manifestação de humanidade e de política a favor da paz” de Pyongyang, que reiterou, além disso, seu desejo de retomar as negociações de seis lados para seu desarmamento nuclear.

Segundo indicou recentemente a imprensa oficial norte-coreana, Gomes tentou se matar em julho por causa de um sentimento de “culpabilidade” e “decepção” perante o fato de Washington não ter tomado medidas para sua libertação.

Visita – Esta foi a segunda visita à capital norte-coreana de Jimmy Carter, Prêmio Nobel da Paz em 2002, depois da viagem histórica que realizou em 1994, quando se reuniu com o então líder norte-coreano e pai do atual, Kim Il-sung.

Na ocasião, Carter conseguiu fazer com que a Coreia do Norte negociasse com os EUA em conversas que levaram a um acordo de desarmamento nuclear.

Esta é também a segunda vez que um ex-presidente americano viaja especificamente à capital norte-coreana para libertar cidadãos do país.

Em agosto de 2009, Bill Clinton se reuniu em Pyongyang com Kim Jong-il e conseguiu a libertação de duas jornalistas americanas que tinham sido detidas na fronteira com a China e condenadas a 12 anos de trabalhos forçados.

(Com agência EFE)