Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Japão tem recorde de novos casos de Covid-19 durante a Olimpíada

A nova onda na região metropolitana acontece, principalmente, devido a propagação de novas variantes, que são mais contagiosas, como a delta

Por Da Redação Atualizado em 29 jul 2021, 10h47 - Publicado em 29 jul 2021, 09h06

O Japão registrou 10.000 novos casos de Covid-19 nesta quinta-feira, 29, em um novo recorde na pandemia. Tóquio, cidade sede da Olimpíada de 2021, confirmou seu próprio recorde de infectados pelo terceiro dia seguido.

Segundo os dados oficiais divulgados pela capital, foram 3.865 novos casos nas últimas 24 horas. A governadora de Tóquio, Yuriko Koike, afirmou na quarta-feira 28 que o sistema de saúde está sob forte pressão e estima que os casos podem chegar a 4.500 por dia na cidade em agosto.

Com os olhares e atletas do mundo voltados para a cidade, o risco de aumentar significativamente os índices de contaminação no Japão sempre foi uma preocupação. Na última semana, o país contabilizou mais de 5.000 novos casos em dois dias diferentes. A última vez que a capital teve números tão altos foi em janeiro deste ano.

A nova onda na região metropolitana acontece, principalmente, devido a propagação de novas variantes, que são mais contagiosas, como a delta. Além disso, pessoas com menos de 60 anos estão sendo mais afetadas, devido ao menor índice de vacinação no grupo.

Yuriko Koike, no entanto, garantiu que a alta no número de casos não é relacionada aos Jogos Olímpicos, inclusive, aponto que o evento tem sido aliado das autoridades no combate ao novo coronavírus. “Nos ajuda a fazer com que as pessoas fiquem em casa para assistir na televisão”, disse a chefe do Executivo regional.

+ ‘Precisamos respeitar a pandemia’, dizem médicos do COB

Continua após a publicidade

Koike ainda fez um apelo dirigido à população da cidade Tóquio, para que deslocamentos só sejam feitos quando forem extremamente necessários.

Alguns especialistas, no entanto, estão utilizando o termo “efeito olímpico”, com uma maior incidência de pessoas fora de casa e de reuniões familiares, justamente, para que se acompanhe os Jogos, em meio ao ambiente da realização do evento.

O médico Shigeru Omi, que lidera o grupo que assessora o governo na luta contra a Covid-19, apontou como fatores a banalização da doença, além do período de festas escolares e também o início da Olímpiada. “O maior problema é que não está sendo compartilhado o sentido de perigo entre toda a sociedade. Se seguirmos sem que haja conscientização. A expansão do vírus será acelerada e, logo, causará uma pressão maior no sistema de saúde”, disse o especialista.

O Comitê Organizador Local dos Jogos, por sua vez, anunciou nesta quinta-feira mais 24 casos de Covid-19 de pessoas envolvidas com o evento, entre elas, três atletas. Esta é a maior quantidade diária desde o início da verificação, no começo de julho.

Até o momento, já foram detectados 193 positivos para o novo coronavírus em indivíduos ligados aos Jogos de Tóquio, sendo que 20 são atletas que disputariam competições. Não foi identificado, no entanto, nenhum contágio de esportistas estrangeiros que chegaram ao Japão por causa do evento poliesportivo a integrante da população local, de acordo com as autoridades.

(Com EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade