Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Japão lembra o 1º aniversário da tragédia do terremoto e tsunami

Por Da Redação - 10 mar 2012, 22h16

Tóquio, 11 mar (EFE).- O Japão lembra neste domingo o primeiro aniversário do terremoto de 9 graus na escala Richter e o devastador tsunami que arrasou o nordeste do arquipélago e causou quase 20 mil mortos e desaparecidos, além da pior crise nuclear desde a de Chernobyl.

Às 14h46 (horário local, 2h46 de Brasília), a mesma na qual o terremoto fez tremer o país, milhões de pessoas guardarão um minuto de silêncio em lembrança às vítimas da tragédia, a pior vivida pelo Japão após a Segunda Guerra Mundial.

Além disso, serão realizados memoriais em homenagem aos mortos em todas as cidades litorâneas de Iwate, Miyagi e Fukushima, as três províncias mais afetadas pelo desastre e ainda em plena reconstrução, e em muitos lugares as sirenes de alerta voltarão a soar um ano depois para marcar o momento do terremoto.

Em Tóquio acontece uma grande cerimônia na qual participarão, entre outros, o primeiro-ministro, Yoshihiko Noda, e o imperador, Akihito, de 78 anos, apesar de ainda estar em processo de reabilitação após uma recente operação no coração.

Publicidade

O imperador – que há semanas tinha mostrado sua vontade de comparecer ao ato, apesar de sua delicada saúde – fez após a catástrofe de março um histórico discurso na televisão, pedindo aos cidadãos para não perder a esperança, e depois viajou em várias ocasiões para as regiões arrasadas.

Embora no nordeste do Japão a maioria das áreas já parece limpa, ainda restam recolher seis dos mais de 22 milhões de toneladas de escombros deixados pela grande massa de água que varreu centenas de quilômetros de costa.

Um ano depois, 334 mil pessoas ainda estão em casas temporárias, 80 mil delas provenientes da zona de exclusão decretada em um raio de 20 quilômetros em torno da central nuclear de Fukushima Daiichi por causa da elevada radioatividade. EFE

Publicidade