Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Japão aprova lei polêmica que autoriza envio de militares ao exterior

Pacote de leis foi aprovado após muita confusão na Câmara Alta e manifestações nas ruas do país

O Parlamento japonês aprovou na madrugada deste sábado (horário local) um pacote de leis de defesa que autorizam o envio de militares a um conflito no exterior, rompendo com uma política vigente de 70 anos, desde o fim da Segunda Guerra Mundial. O presidente da Câmara Alta, Masaaki Yamazaki, anunciou que 148 parlamentares votaram a favor e 90 se opuseram às mudanças.

Os senadores votaram em uma sessão plenária os textos que atribuem uma nova interpretação à Constituição pacifista do país, após horas de intensos debates. Durante a votação, milhares de manifestantes protestavam contra a reforma em frente ao Congresso .

Leia também:

Até lá: Deputados japoneses brigam durante sessão plenária

1º de setembro é o dia em que jovens cometem mais suicídio no Japão

Premiê japonês se desculpa pelas agressões do Japão na II Guerra

A perspectiva de uma nova interpretação da Constituição pacifista do Japão fez com que milhares de japoneses saíssem às ruas quase diariamente nas últimas semanas, algo raro no arquipélago.

Na quinta-feira, em duas oportunidades, integrantes da oposição e da coalizão governista cercaram o presidente da comissão e chegaram trocar empurrões.

Para os críticos, as leis, que permitirão ao Japão uma intervenção para defender um aliado, são incompatíveis com a renúncia à guerra incluída no artigo 9 da Carta Magna imposta em 1947 pelos Estados Unidos. Os opositores afirmam que a nova interpretação da Constituição poderia levar o país a entrar em guerras por todo o mundo ao lado dos EUA.

O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, apoia uma normalização da política militar do país, que após a derrota na Segunda Guerra Mundial esteve muito restrita pela imposição dos Estados Unidos. Abe defende a necessidade de uma evolução legal ante as ameaças crescentes da China e da Coreia do Norte.

(Com AFP)