Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Itália vai revogar concessão de empresa responsável por ponte que desabou

Governo responsabiliza a Autostrade per l’Italia pela tragédia; cinco pessoas ainda estão desaparecidas

Por Da Redação
17 ago 2018, 21h09

O governo da Itália iniciou nesta sexta (17) os procedimentos para revogar a concessão da empresa responsável pela manutenção da autoestrada onde ficava a ponte Morandi, que desabou em Gênova na terça-feira (14), deixando ao menos 38 mortos.

“Hoje o governo enviou uma carta formal à Autostrade per l’Italia anunciando o início do processo de revogação de sua concessão”, anunciou o ministro de Infraestruturas e Transporte da Itália em sua página no Facebook.

O governo italiano também disse que exigirá mais investimentos em manutenção e segurança das concessionárias de infraestrutura que atuam no país.

“Esse desastre nos obriga a tomar iniciativas muito mais rigorosas do que as adotadas por governos anteriores”, afirmou o primeiro-ministro Giuseppe Conte em comunicado, acrescentando que o governo responsabiliza a Autostrade per l’Italia pelo desabamento da ponte.

Continua após a publicidade

A empresa tinha obrigação de cuidar da manutenção ordinária e extraordinária da estrada e pontes da autoestrada pela qual é responsável, segundo a nota. A operadora tem agora 15 dias para apresentar sua defesa antes da revogação da concessão.

A Autostrade per l’Italia pertence à Atlantia, empresa que é do mesmo grupo da marca de roupas Benneton.

Cinco pessoas ainda estão desaparecidas depois da queda da ponte, segundo a agência de proteção civil. As equipes de resgate continuam buscando sobreviventes sob os escombros.

Continua após a publicidade

Pelo menos 38 pessoas morreram quando a ponte desmoronou na terça-feira. Outras cinco estão gravemente feridas no hospital.

As famílias das vítimas consideram a tragédia o resultado de negligência do governo. Especialistas já advertiam sobre a deterioração de alguns materiais do viaduto, como a oxidação de cabos, e recomendavam uma avaliação por parte da companhia sobre estes problemas antes do desabamento.

(Com Reuters)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.