Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

“Israelenses têm direito de viver em suas terras”, diz ex-premiê do Qatar

Afirmação ocorre em semana na qual príncipe saudita disse crer que "palestinos e israelenses têm direito a sua própria terra"

O ex-primeiro primeiro-ministro do Qatar, Hamad bin Jassim bin Jaber Al Thani, postou na última quarta-feira em seu Twitter que os israelenses têm o direito de viver em suas próprias terras, assim como os palestinos. Sua declaração ocorre dias depois do príncipe da Árabia Saudita, Mohammed bin Salman, fazer afirmação semelhante em entrevista.

Em árabe ele escreveu: “Os israelenses têm o direito de viver em suas terras em paz e segurança, esta é minha convicção. Eu tive essa convicção por muitos anos, e ainda tenho”. E acrescentou que “somos tímidos ao mencionar que os palestinos também têm seus direitos”.

Ele também teceu críticas às políticas do Qatar, que “se tornou motivo de chacota por ser chantageado” e “desperdiça nosso dinheiro em acordos mal concebidos, pagando lobbies a países influentes”.

O Qatar tem tentado se aproximar de Israel. Um encontro entre o premiê israelense, Benjamin Netanyahu, e o emir do Qatar é esperado para breve.

Na segunda-feira, a revista americana The Atlantic perguntou durante  entrevista com o príncipe saudita Mohammed bin Salman se ele “acredita que o povo judeu tem o direito a um Estado-nação ao menos em parte de suas terras ancestrais”, ao que o príncipe respondeu: “Acredito que cada povo, esteja onde estiver, tem o direito de viver em sua nação pacífica. Acredito que os palestinos e os israelenses têm direito a sua própria terra”.

“Mas é preciso um acordo de paz para assegurar a estabilidade de cada um e manter relações normais”, afirmou. “Nós temos preocupações religiosas sobre o destino da mesquita sagrada em Jerusalém e sobre os direitos do povo palestino. Isto é o que nós temos. Nós não temos nenhuma objeção contra qualquer outro povo”

A tensão crescente entre Teerã e Riad tem alimentado especulação de que interesses compartilhados podem fazer com que Arábia Saudita e Israel trabalhem juntos contra o que veem como uma ameaça comum iraniana.

A Arábia Saudita abriu seu espaço aéreo no mês passado pela primeira vez a um voo comercial rumo a Israel, fato que uma autoridade israelense saudou como momento histórico após dois anos de esforços.