Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Israel reafirma acordo de paz com novo presidente do Egito

Carta enviada neste domingo é segunda do estado judaico ao governo egípcio

O presidente de Israel, Shimon Peres, enviou neste domingo uma carta ao novo presidente do Egito, Mohammed Mursi, na qual assinala o “compromisso” dos dois países de “manter e desenvolver” o acordo de paz que assinaram em 1979. “Esperamos continuar a cooperação com vocês baseada nos acordos de paz que assinamos há mais de três décadas e nosso compromisso de sua manutenção e desenvolvimento para benefício dos dois povos”, diz a carta, segundo o texto em hebraico divulgado pelo escritório de Peres. “Ao contrário da guerra, a paz é uma vitória para as duas partes”, assinalou Peres. “A paz salvou a vida de dezenas de milhares de jovens no Egito e Israel.”

Entenda o caso

  1. • Na onda da Primavera Árabe, que teve início na Tunísia, egípcios iniciaram, em janeiro, sua série de protestos exigindo a saída do então ditador Hosni Mubarak, que renunciou no dia 11 de fevereiro de 2011.
  2. • Durante as manifestações, mais de 800 rebeldes morreram em choques com as forças de segurança de Mubarak, que foi condenado à prisão perpétua acusado de premeditar e ordenar esses assassinatos.
  3. • A Junta Militar assumiu o poder logo após a queda do ditador e até a posse do novo presidente eleito, Mohamed Mursi.

Leia mais no Tema ‘Revolta no Egito’

O chefe de estado israelense se mostra convencido de que os países vizinhos dão “máxima importância” à paz e à estabilidade como elementos que “servem aos interesses de todos os povos” do Oriente Médio. “Todos em Israel respeitamos enormemente o Egito e o povo egípcio, que abriram o caminho da paz e a reconciliação na região. Sabemos que essa tarefa ainda não terminou”, destacou Peres, referindo-se ao fato de Cairo ter sido a primeira capital árabe com a qual o estado judaico assinou um tratado de paz.

Peres felicitou Mursi e o povo egípcio pelas eleições que elegeram o ativista da Irmandade Muçulmana no segundo turno, realizado nos últimos dias 16 e 17 de junho. A carta, enviada através da Embaixada de Israel no Cairo, é a segunda do estado judaico ao novo governo egípcio. A primeira foi remitida nesta semana pelo primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, que ressaltou a importância do tratado de paz, pelo qual Israel devolveu ao Egito a Península do Sinai (que tinha capturado na Guerra dos Seis Dias de 1967).

No último dia 24, após o anúncio do resultado do segundo turno das eleições egípcias, o escritório de Netanyahu divulgou um breve comunicado para dizer que Israel “valoriza o processo democrático no Egito e respeita os resultados das eleições presidenciais”.

Leia mais:

Leia mais: Chefe da Junta Militar egípcia diz que apoia presidente eleito

(Com agência EFE)