Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Israel fechará Cisjordânia e Gaza por 3 dias por conta do ano novo judaico

As fronteiras permanecerão abertas a palestinos em circunstâncias especiais e casos humanitários, diz autoridade israelense

Por EFE 7 set 2018, 16h34

Israel fechará a partir da meia-noite deste sábado até a próxima terça-feira as passagens fronteiriças com a Faixa de Gaza e o território ocupado da Cisjordânia e Gaza por ocasião da festividade de Rosh Hashaná, o ano novo judaico.

“De acordo com diretrizes governamentais diretas e uma avaliação de segurança, os cruzamentos e passagens com as regiões de Judeia e Samaria (nomes bíblicos para Cisjordânia) e Gaza permanecerão abertas a palestinos em circunstâncias especiais e casos humanitários”, informou uma porta-voz militar.

Estas exceções deverão ser aprovadas pelo Cogat, o órgão militar encarregado de tramitar a ocupação nos territórios.

O fechamento durará os três dias pelos quais se estendem as comemorações do ano novo judaico, que começa no domingo.

Continua após a publicidade

No caso de Gaza, o Ministério da Defesa de Israel informou, na quinta-feira 6, que a passagem para pessoas de Erez não ficará aberta até a próxima quinta-feira, em represália à depredação no terminal por parte de manifestantes palestinos nesta semana, quando protestavam contra as políticas dos Estados Unidos na região.

As autoridades israelenses geralmente fecham as fronteiras nas comemorações judaicas mais importantes, como o Purim, conhecido como o carnaval judeu, a Páscoa (Pessach) e o dia mais sagrado para o judaísmo, Dia do Perdão (Yom Kipur).

Israel controla as fronteiras da Palestina desde a Guerra dos Seis Dias em 1967, quando ocupou os territórios de Jerusalém Oriental, Cisjordânia e Gaza. Esta última se encontra sob bloqueio desde que o movimento islamita Hamas tomou o controle do território à força há 11 anos.

Os mais de 2 milhões de moradores da Faixa só contam com uma saída para o exterior que não passa por Israel, através do Egito, que também mantém o fechamento intermitente da fronteira.

Os quase 3 milhões de habitantes da Cisjordânia costumam viajar para o exterior pela passagem de Allenby com a Jordânia, que também está sob controle da segurança israelense.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)