Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Israel fecha fronteira com Gaza e Cisjordânia durante Páscoa judaica

Bloqueio será aliviado apenas para casos especiais ou de ajuda humanitária e valerá até as 24h de 27 de abril

Israel fechou as suas passagens com a Faixa de Gaza e a Cisjordânia na noite de quinta-feira 18 e as manterá bloqueadas nos oito dias de festividade do Pessach, a Páscoa judaica. As celebrações começam nesta sexta-feira, 19, e terminarão às 24 horas de sábado, 27 de abril.

“Os cruzamentos com Gaza e Cisjordânia só serão abertos para os palestinos sob circunstâncias especiais e ajuda médica e humanitária”, informou uma porta-voz do Exército israelense.

Nos demais casos, os palestinos estarão proibidos de ingressar em Israel, mesmo os que tiverem permissão do governo israelense. Toda sexta-feira, a Faixa de Gaza, se dá a Marcha do Retorno, movimento de protesto contra a expulsão de palestinos depois da guerra de independência de Israel e de reivindicação do regresso deles a seus locais de origem. As manifestações iniciadas há um ano resultam, em geral, em mortos e feridos pelas forças israelenses.

Com a medida, Israel barra a entrada em seu território a todos os palestinos, mesmo aqueles que tenham permissões expedidas pelo governo israelense. Segundo o jornal Jerusalen Post, vários atentados se deram no período da Páscoa judaica. Entre eles, o de 2002, durante a Segunda Intifada, quando um militante do Hamas se explodiu no Park Hotel Netanya, matando 29 pessoas e ferindo outras 64.

Israel controla todas as fronteiras com os territórios palestinos – exceto a passagem de Rafah, entre Gaza e Egito. Também costuma fechar as passagens durante momentos de maior conflito ou devido a celebrações judaicas como Páscoa, Purim e o dia mais sagrado para o judaísmo, o Dia do Perdão ou Yom Kipur.

(Com EFE)