Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Israel e EUA testam mísseis enquanto Kerry tenta acordo

Netanyahu mostrou-se pessimista em relação a um acordo com os palestinos

Israel e Estados Unidos realizaram um teste conjunto de mísseis nesta sexta-feira, informou o Ministério da Defesa americano, no momento em que o secretário de Estado John Kerry negocia um acordo de paz no Oriente Médio. A Organização de Defesa de Mísseis de Israel e a Agência de Defesa de Mísseis americana concluíram com “sucesso” o lançamento do sistema antimísseis balísticos Arrow-3 sobre o Mediterrâneo, diz comunicado do Ministério. O Arrow, concebido para conter mísseis de longa distância, interceptou mísseis semelhantes ao iraniano Shihab-3 em uma série de condições.

Em novembro, Israel e Estados Unidos testaram uma parte separada do sistema de defesa aérea de mísseis israelense, o ‘David’s Sling’ (estilingue de Davi, em referência a arma usada por Davi para derrotar Golias, segundo a narrativa bíblica). Foi a primeira vez que o David’s Sling foi testado “inteiramente” com a identificação do míssil, lançamento e abatimento do alvo.

Leia também

Piora o estado de saúde de Ariel Sharon

Palestinos libertados por Israel são recebidos por Abbas

Em resposta a morte de civil, Israel bombardeia Gaza

O objetivo do David’s Sling é interceptar projéteis que vão de “mísseis Grad ao Scud”, segundo o comunicado oficial. O Iraque disparou mísseis de longo alcance Scud contra Israel durante a Guerra do Golfo, em 1991. Quase todos eles foram interceptados e destruídos no ar por mísseis americanos Patriots.

Acordo de paz – O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, expressou pessimismo sobre a perspectiva de um tratado de paz com os palestinos nesta quinta-feira, quando o secretário de Estado norte-americano, John Kerry, iniciava sua décima visita à região em busca de um acordo.

“Há dúvidas cada vez maiores em Israel sobre se os palestinos estão comprometidos com a paz”, disse Netanyahu, em declarações ao lado de Kerry. Ele acusou as autoridades palestinas de orquestrarem uma campanha “inabalável” de incitamento contra Israel.

Nos dias que precederam a última visita de Kerry a Jerusalém, líderes palestinos igualmente acusaram Israel de tentar sabotar as conversações, cujo objetivo é pôr fim a décadas de conflito. Kerry concentrou seus comentários nos esforços dos EUA para um acordo final de paz, que o governo norte-americano espera alcançar até abril, e na sua busca no curto prazo de um pacto sobre as linhas básicas que abririam caminho para um acordo permanente.

Após deixar Israel, Kerry viajará a Ramallah para conversar com o presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas. Kerry tenta conciliar as posições de israelenses e palestinos para um “acordo básico” que defina as linhas gerais de um tratado final no prazo fixado, até 29 de abril.

Ariel Sharon – John Kerry afirmou que “todos os americanos” pensam no ex-primeiro-ministro israelense Ariel Sharon, cujo estado de saúde é considerado “crítico” pelos médicos, ao iniciar uma nova visita a Israel. “Nossos pensamentos, meus pensamentos, vão para a família Sharon”, declarou Kerry durante uma coletiva de imprensa conjunta com o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu.

(Com agência Reuters)