Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Israel desiste de candidatura ao Conselho de Segurança da ONU

Países árabes fizeram campanha para bloquear o objetivo israelense de ocupar pela primeira vez um assento no órgão

Israel retirou nesta sexta-feira (4) sua candidatura a um assento no Conselho de Segurança da ONU em 2019 e 2020, depois de uma campanha de países árabes nas Nações Unidas para bloquear suas aspirações.

“Após consultá-lo com nossos sócios, inclusive nossos bons amigos, o Estado de Israel decidiu adiar sua candidatura a uma cadeira no Conselho de Segurança”, expressou a representação israelense em um comunicado.

A decisão deixa a via livre para que Alemanha e Bélgica ocupem as duas cadeiras disponíveis para o grupo de países da Europa Ocidental e Outros durante a votação na Assembleia Geral no próximo mês.

Mesmo assim, Israel disse que vai continuar trabalhando para obter sua “plena participação e inclusão” nos processos de tomada de decisão das Nações Unidas.

A priori, a candidatura israelense tinha poucas perspectivas de êxito, dada a inimizade que mantém com os países árabes e sua difícil relação com a própria ONU, à qual acusa de ser parcial.

O chanceler palestino, Riad al Maliki, afirmou no mês passado que os países árabes estavam fazendo tudo o possível para convencer a maior quantidade de nações a bloquear o objetivo de Israel de ocupar pela primeira vez um assento no Conselho de 15 membros, principal órgão executivo da ONU.

África do Sul e República Dominicana devem obter dois dos cinco postos disponíveis em junho, enquanto Indonésia e Maldivas disputam um dos lugares atribuídos ao grupo de países da Ásia Pacífico.

Israel nunca fez parte do Conselho de Segurança, onde Estados Unidos, França, Reino Unido, Rússia e China tem os cinco assentos fixos e outros dez países lhes acompanham como membros não-permanentes em turnos de dois anos.

As eleições para o biênio 2019-2020 estão previstas o próximo mês e nelas votam os 193 Estados-membros da organização.

(Com EFE e AFP)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Isto equivale a um Fernandinho Beira-mar, ou a um Marcola almejarem uma cadeira no CNJ.

    Curtir

  2. Bom. Já que estamos falando em absurdos, não podemos esquecer que José Sarney é membro da Academia Brasileira de Letras e seu subalterno Edison Lobão é senador e presidente da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) no Senado.
    Pra completar a piada, só faltam Lula e Dila na ABL………..
    Quáááááááááá´………………

    Curtir

  3. Alguém acha que o Brasil tem alguma chance de sair desta m erda !??????

    Curtir