Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Israel derruba foguete lançado contra balneário de Eilat

Jerusalém aprova construção de mais 942 casas em sua parte Oriental

Israel abateu nesta terça-feira um foguete com destino à cidade turística de Eilat, ao Sul do país, explodindo o artefato no ar perto da fronteira com a península do Sinai, no Egito, segundo um oficial militar. Também nesta terça, a prefeitura de Jerusalém aprovou a construção de 942 casas em Jerusalém Oriental, na véspera da retomada de negociações entre israelenses e palestinos.

Leia também:

Leia também: Israel lista palestinos que serão libertados em breve

Militantes islâmicos que operam na península desértica disseram ter disparado o foguete contra a cidade, que está lotada de turistas, em retaliação pelo assassinato de quatro guerrilheiros no Sinai na sexta-feira. Sirenes de ataque aéreo soaram e explosões foram ouvidas sobre as colinas que cercam o balneário às margens do golfo de Aqaba, de acordo com testemunhas e jornais israelenses. Não houve vítimas ou danos relatados.

Um oficial de segurança israelense aposentado disse que esta foi a primeira vez que o sistema de defesa israelense Domo de Ferro derrubou um míssil disparado contra Eilat. “Não é a primeira vez que um foguete foi disparado contra Eilat, mas é a primeira vez que o Domo de Ferro interceptou um”, disse Dani Arditi, ex-conselheiro de segurança nacional, à Rádio do Exército.

Construções – A prefeitura de Jerusalém aprovou a construção de 942 casas em Jerusalém Oriental, na véspera da retomada das negociações entre israelenses e palestinos. “A prefeitura aprovou um plano de construção de 942 casas em Gilo (um bairro de colonização)”, afirmou o vereador Yossef Pepe Alalu.

Segundo a ONG “Paz Agora”, contrária à colonização, a decisão de prefeitura inclui também a possibilidade de construir outras 300 residências em uma fase posterior. “O governo faz tudo para sabotar as negociações antes mesmo do início”, lamentou Lior Amihai, diretor da ONG. No domingo, o governo anunciou a construção de 1 187 alojamentos na Cisjordânia e Jerusalém Oriental.

Libertações – Enquanto isso, a Alta Corte de Israel rejeitou nesta terça-feira um recurso contra a libertação de 26 presos palestinos, num gesto concebido para criar um ambiente propício à retomada do processo de paz na região.

Parentes de israelenses mortos por alguns dos homens que serão soltos haviam solicitado o cancelamento da libertação, que pode acontecer a partir da terça-feira à noite. Três juízes determinaram que o governo agiu dentro das suas atribuições ao decidir libertar os presos, que já cumpriram vários anos de pena.

Saiba mais:

Saiba mais: Israel x Palestina: dos dois lados do muro

Sob mediação dos EUA, palestinos e israelenses retomaram suas negociações em 30 de julho, em Washington, após um hiato de cerca de três anos. As discussões devem ser retomadas na quarta-feira em Jerusalém, e a rodada posterior deve acontecer na Cisjordânia.

A negociação anterior foi abandonada devido à insistência de Israel em construir novas moradias para colonos judeus em assentamentos da Cisjordânia, o que a maior parte da comunidade internacional considera ilegal.

(Com agências France-Presse e Reuters)