Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Israel autoriza extensão de colônia na Cisjordânia ocupada

Com a criação de um novo bairro judaico, Belém ficará cortada do sul da região

O governo israelense aprovou a construção de 40 casas e de uma fazenda em dois novos bairros da colônia judaica de Efrat, perto de Belém, no sul da Cisjordânia ocupada, informou nesta segunda-feira o jornal Haaretz. Segundo o diário, o projeto constitui uma expansão do bloco de colônias de Gush Etzion em direção ao norte e ao nordeste.

“Com estas novas construções, o bloco de Goush Etzion alcançará os limites de Belém”, destacou o Haaretz. “A construção em Efrat é algo muito sensível, já que isso significa que, no caso da anexação de Efrat, Belém ficará cortada do sul da Cisjordânia”, disse uma responsável da ONG Paz Agora, Hagit Ofran.

Leia também:

Leia também: ‘Fim dos assentamentos vai cessar a resistência do Hamas’

Apelo – O movimento islâmico Hamas, que controla Gaza, pediu nesta segunda-feira o fim definitivo da recente escalada de violência com Israel, enquanto foi verificada uma visível redução das hostilidades iniciadas na última quinta-feira. “É necessário restaurar a calma e deter todo tipo de agressão contra nosso povo”, disse o ministro das Relações Exteriores do governo islâmico na faixa, Mohammed Awad, em entrevista coletiva concedida na capital.

Awad revelou que o Executivo do Hamas mantém contatos em diferentes níveis com mediadores internacionais, entre eles o Egito e a ONU, para fazer chegar a mensagem de que, “para restaurar a calma, é preciso que cessem as agressões”. O Hamas não reconhece o estado de Israel, que por sua vez considera a organização islâmica terrorista, motivo pelo qual ambos só mantêm contatos através de terceiros.

Leia também:

Leia também: ‘Criação de estado palestino deve ser o fim, não o começo’

(Com agências France-Presse e EFE)