Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Israel alega que muro na fronteira com Líbano aumenta a segurança na região

Por Da Redação 30 abr 2012, 11h25

Jerusalém, 30 abr (EFE).- O Exército israelense defende que o muro que começou a ser construído nesta segunda-feira na fronteira com o Líbano possui objetivo de ‘melhorar a segurança na região e reduzir os atritos’.

‘As mudanças na infraestrutura ao longo da fronteira foram coordenados com auxilio da Força Interina das Nações Unidas para o Líbano (Funil) e das forças armadas libanesas’, afirmou um porta-voz militar israelense à Agência Efe.

O Exército israelense confirmou que a construção do muro foi iniciada na manhã desta segunda próxima a aldeia libanesa de Kfar Kila, situada em frente à localidade israelense de Metula.

O muro, que terá ‘mais de um quilômetro de extensão e cerca de 10 metros de altura’, deverá ser concluído ‘nas próximas semanas’, informou a rádio pública israelense. Segundo a emissora, o objetivo dessa construção é proteger os 1,6 mil habitantes de Metula de eventuais tiroteios em Kfar Kila.

Os soldados israelenses retiraram a cerca de segurança localizada metros antes da chamada ‘linha azul’ – traçada pela ONU em maio de 2000 para certificar a retirada israelense – para levantar o muro, que é supervisionado por um grande desdobramento de agentes da Funil e de soldados libaneses, assinalaram à Agência Efe testemunhas da região.

Além disso, em Kfar Kila, situada no Setor Este do sul do Líbano, se encontra o posto fronteiriço da Porta de Fátima, que durante os 22 anos de ocupação israelense era conhecida como a ‘boa fronteira’, já que era utilizada pelos libaneses que trabalhavam em Israel.

Tecnicamente, Líbano e Israel continuam em estado de guerra, embora os responsáveis militares de ambos os estados consigam manter encontros regularmente, sob supervisão da ONU, para tratar os problemas relativos às fronteiras. EFE

Continua após a publicidade
Publicidade