Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Iraniano perde pernas em explosão em Bangcoc

Por Da Redação 14 fev 2012, 12h45

(Atualiza com feridos e a busca por dois desaparecidos)

Bangcoc, 14 fev (EFE).- Um estrangeiro perdeu as duas pernas nesta terça-feira em uma explosão em Bangcoc, detonação esta que ainda danificou um cabine telefônica e um táxi, informou a Polícia.

Conforme a rede de TV tailandesa o estrangeiro em questão é um iraniano chamado Saeib Morabi, que levava consigo uma bolsa preta carregada de explosivos.

O tenente-coronel Witthaya Poonsin, subdiretor da Polícia de Khlong Tan, explicou à imprensa que, primeiro, o homem jogou uma granada em um táxi que tentou pegar. Depois, ao ser perseguido por agentes, lançou um segundo explosivo, que escapou de suas mãos e explodiu, causando a amputação de suas duas pernas. Morabi foi levado para o hospital.

Quatro pessoas ficaram feridas nas explosões. A porta-voz do Governo, Thitima Chaisaeng, declarou à imprensa local que materiais explosivos e detonadores foram encontrados no apartamento que o iraniano havia alugado com outros dois compatriotas, onde antes dos fatos relatados houve outra detonação.

Continua após a publicidade

A Polícia confirmou a prisão de outro iraniano no aeroporto de Suvarnabhumi quando este embarcava para a Malásia.

De acordo com o jornal ‘The Nation’, o suspeito detido, identificado como Mohammad Hazaei, havia chegado à Tailândia no mesmo dia em que Morabi. O motorista do táxi confirmou a versão ao programa de televisão ‘Rawangpai’ e acrescentou que ao ver que o estrangeiro havia danificado seu veículo, começou a chamar a polícia e a pedir socorro, enquanto o agressor escapava.

Ao vê-lo fugir, começou a persegui-lo sem deixar de pedir auxílio até que o iraniano voltou a colocar a mão na bolsa e tirou outra granada, que caiu no chão e explodiu, contou Sanchai.

Os incidentes ocorreram nesta terça na Rua Sukhumvit, ao lado de uma escola, em Bangcoc. A primeira bomba abriu um buraco na calçada de meio metro de largura e 30 centímetros de profundidade, que estragou bastante a parte dianteira do táxi.

A Polícia isolou a área e desviou o trânsito enquanto era feita a investigação. A porta-voz do Governo, Thitima Chaisaeng, indicou que o iraniano vivia em um apartamento no bairro de Ekkamai, onde antes dos episódios relatados também houve outra explosão.

O chefe da Polícia de Klong Tan, Sitthiparp Baiprasert, apontou em declarações à imprensa que o iraniano havia alugado um apartamento que dividia com outros dois compatriotas. A Polícia procura pelos colegas de quarto do agressor para interrogá-los. EFE

Continua após a publicidade

Publicidade