Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Irã nomeia vice-comandante da força Quds para substituir Soleimani

Segundo líder supremo do país, aiatolá Ali Khamenei, o comando 'permanecerá inalterado em relação ao período de seu antecessor'

Por Reuters Atualizado em 3 jan 2020, 10h02 - Publicado em 3 jan 2020, 09h50

O líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, nomeou o vice de Qasem Soleimani, o general Esmail Ghaani, para substituí-lo como chefe das Forças Quds após a morte do comandante em um ataque dos Estados Unidos, informou a mídia iraniana.

O programa da força “permanecerá inalterado em relação ao período de seu antecessor”, afirmou Khamenei em comunicado divulgado pela mídia estatal.

Ghaani virou vice-comandante da Força Quds, braço no exterior da Guarda Revolucionária do Irã, em 1997, quando Soleimani tornou-se o principal comandante militar do país.

Ghaani foi citado pela mídia iraniana dizendo, em 2017, que “as ameaças (do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump) contra o Irã vão trazer danos à América… Nós enterramos muitos… como Trump e sabemos como lutar contra a América”.

Retaliação

Após o ataque autorizado por Trump que matou o comandante da Quds, o Irã prometeu “vingança severa” aos Estados Unidos.  Soleimani era considerada a segunda figura mais poderosa do Irã, depois apenas do aiatolá Ali Khamenei. Segundo Khamenei, em comunicado, a morte do líder militar vai dobrar a motivação da resistência do Irã contra os Estados Unidos e Israel.

O presidente iraniano, Hassan Rouhani, disse que agora o país estará mais determinado a resistir aos EUA e prevê vingança. “O martírio de Soleimani tornará o Irã mais decisivo para resistir ao expansionismo americano e defender nossos valores islâmicos. Sem dúvida, o Irã e outros países que buscam a liberdade na região se vingarão”, afirmou.

O ex-comandante da Guarda Revolucionária do Irã Mohsen Rezaei prometeu “vingança vigorosa contra a América” pelo assassinato de Qasem Soleimani.

Continua após a publicidade
Publicidade