Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Irã exige suspensão de sanções para assinar acordo final

O presidente iraniano Hassan Rohani afirmou que não vai assinar acordo se as restrições não forem suspensas. Grandes potências não comentaram as declarações

Por Da Redação 9 abr 2015, 08h18

O Irã condicionou a assinatura do acordo sobre seu programa nuclear com as grandes potências com a retirada imediata das sanções econômicas. “Não assinaremos nenhum acordo se a sanções econômicas não forem totalmente anuladas no mesmo dia de sua aplicação”, declarou durante um discurso nesta quinta-feira em Teerã o presidente Hassan Rohani. As sanções diplomáticas e econômicas limitam a capacidade do Irã exportar petróleo e desenvolver sua indústria, estrangulando a economia do país.

Os negociadores iranianos e do grupo 5+1 (os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU – Estados Unidos, França, Grã-Bretanha, Rússia e China -, além da Alemanha) concluíram na semana passada, na Suíça, um acordo preliminar para impedir que Teerã produza armamento nuclear. O compromisso é uma etapa prévia a um acordo final, que deve incluir todos os detalhes técnicos e jurídicos. O grupo 5+1, até o momento, não comentou as declarações de Rohani.

Leia também

Obama reconhece que o Irã pode desenvolver uma arma nuclear futuramente

Iranianos celebram acordo nuclear histórico; Israel critica

Continua após a publicidade

Irã e potências mundiais concordam sobre parâmetros para acordo nuclear

Conheça os detalhes do pré-acordo sobre o programa nuclear do Irã

O acordo preliminar estabelece os parâmetros chave da negociação: enriquecimento de urânio, controle e inspeções, sanções e duração do acordo. Mas o calendário de retirada das sanções é um dos pontos de divergência entre as partes. Os países ocidentais desejam uma retirada progressiva, de acordo com uma verificação dos compromissos do Irã pela Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA).

Todos os lados estão trabalhando até o prazo de 30 de junho para finalizarem um acordo final sobre o trabalho nuclear iraniano, que as potências ocidentais temem ter como objetivo o desenvolvimento de uma bomba atômica, mas que Teerã diz ser puramente pacífico.

(Da redação)

Continua após a publicidade

Publicidade