Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Irã despreza ameaças de Trump por teste de míssil: “inexperiente”

Governo dos Estados Unidos advertiu oficialmente Teerã por realizar teste de míssil balístico no fim de semana

Por Da redação 2 fev 2017, 15h53

Um dos principais conselheiros do líder supremo do Irã, o aiatolá Ali Khamenei, disse nesta quinta-feira que o país não irá ceder a ameaças “inúteis” de “uma pessoa inexperiente” dos Estados Unidos por conta de seu programa de mísseis balísticos.

Na quarta-feira, assessor de segurança interna do presidente americano, Donald Trump, disse que os EUA estão advertindo o Irã por causa de sua “atividade desestabilizadora” depois que a nação realizou um teste de míssil balístico.

Trump ecoou a linguagem de Mike Flynn nesta quinta-feira, dizendo em um tuíte que “o Irã foi colocado formalmente de sobreaviso” depois de seu governo dizer que está avaliando como reagir ao lançamento, que Teerã afirma ter ocorrido somente com objetivos defensivos.

O Irã confirmou na quarta-feira ter testado o míssil, mas disse que não violou o acordo nuclear firmado com potências mundiais em 2015 nem uma resolução do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) em apoio ao pacto.

“Esta não é a primeira vez que uma pessoa inexperiente ameaça o Irã… o governo americano irá entender que ameaçar o Irã é inútil”, disse Ali Akbar Velayati. “O Irã não precisa de permissão de nenhum país para se defender”, disse ainda, segundo a agência de notícias Fars. Khamenei é a figura mais poderosa do país.

Continua após a publicidade

Uma autoridade dos EUA disse que a República Islâmica disparou um míssil balístico de médio alcance que explodiu depois de percorrer 1.010 quilômetros no domingo. Segundo os iranianos, o teste foi bem-sucedido.

Uma série de testes realizados pela Guarda Revolucionária do Irã em 2016 provocou temores em todo o mundo, e algumas potências disseram que qualquer lançamento de mísseis balísticos com capacidade nuclear violaria a Resolução 2231 do Conselho de Segurança da ONU.

A Guarda Revolucionária mantém um arsenal de dezenas de mísseis balísticos de médio e curto alcance – os maiores do Oriente Médio, de acordo com o Instituto Internacional de Estudos Estratégicos, sediado em Londres.

Conforme o acordo nuclear, a maioria das sanções da ONU foi suspensa um ano atrás. Mas o Irã ainda está sujeito a um embargo de armas da ONU e a outras restrições, que tecnicamente não são parte do pacto.

Trump criticou muitas vezes o acordo nuclear firmado com o Irã, que restringe suas atividades atômicas em troca de um abrandamento nas sanções, classificando o entendimento de fraco e ineficaz. Nesta quinta-feira, o presidente americano tuitou que o Irã “deveria ser grato pelo acordo terrível que os EUA fizeram com eles”.

(Com Reuters)

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)