Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Irã captura mais um petroleiro acusado de contrabando no Golfo Pérsico

Governo iraniano anuncia liberação de outro navio, o 'Stena Impero', de bandeira britânica, apreendido em julho

A Guarda Revolucionária do Irã (IRGC) apreendeu, nesta segunda-feira, 16, uma embarcação no Estreito de Hormuz por supostamente contrabandear 250.000 litros de diesel aos Emirados Árabes Unidos, segundo a agência de notícias iraniana Isna. Em contrapartida, o Ministério das Relações Exteriores do Irã anunciou a liberação nos próximos dias do petroleiro de bandeira britânica Stena Impero, capturado em julho pela IRGC sob a acusação de violar leis internacionais.

A embarcação detida nesta segunda-feira estava perto de uma ilha chamada Grande Tunb. Seus tripulantes foram presos e levados para a província de Hormozgan, ao sul do país. As autoridades, no entanto, não informaram o nome do navio, sob qual bandeira opera nem a nacionalidade dos homens detidos.

Esta é a segunda embarcação acusada pelo Irã de contrabando e apreendida pela IRGC no Golfo Pérsico neste mês. Entretanto, desde a imposição de novas sanções dos Estados Unidos, em março, vários navios petroleiros na região foram sabotados ou capturados pelas forças revolucionárias, que aumentou as tensões na região. Ao mesmo tempo, o Irã deixa de cumprir determinados termos do acordo nuclear de 2015, abandonado pelos americanos. Teerã pretende, com isso, pressionar os outros países signatários do acordo, principalmente os europeus, a levantar as restrições ao comércio do petróleo iraniano.

Essa apreensão coincide com os ataques realizados no sábado 14 contra refinarias da Arábia Saudita, que comprometeram 40% da produção de petróleo do país — os sauditas são responsáveis por 10% do mercado de petróleo no mundo. O ataque provocou o disparo do preço internacional do petróleo, que chegou a 71 dólares, uma alta de 19% em relação ao valor de sexta-feira 13.

A versão da Arábia Saudita e de seu principal aliado, os Estados Unidos, apontam a autoria dos ataques ao Irã, apesar de os rebeldes houthis, do Iêmen, terem reivindicado a ação. Rebeldes que lutam contra a coalização da Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos e o governo iemenita pelo controle do Iêmen, os houthis são xiitas e recebem o apoio do Irã.

‘Stena Impero’

A apreensão do Stena Impero ocorreu após algumas tentativas fracassadas de captura de navios pela IRGC, em uma delas, um navio de batalha britânico impediu a abordagem dos soldados, e duas semanas depois que autoridades em Gibraltar, território que pertence ao Reino Unido localizada no sul da Espanha, confiscaram o petroleiro Grace 1 sob acusações de violar sanções internacionais ao comercializar petróleo para a Síria.

Após semanas atracado no porto, o navio recebeu a permissão de continuar sua viagem mesmo com protestos dos Estados Unidos que tentaram impedir a decisão judicial que liberava o navio. Rebatizado como Adrian Darya 1, as autoridades de Gibraltar receberam a notificação de que o navio fora vendido junto de sua carga para outra empresa e que não detinha mais o controle de sua navegação. Semanas depois, ele foi fotografado por satélites navegando próximo a Síria.

(Com Reuters)