Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Irã avisou premiê do Iraque sobre ataques aéreos antes da ação

Regime iraniano informou que resposta à morte de Soleimani estava 'a caminho' e teria como alvo forças americanas

Por Da Redação - Atualizado em 8 jan 2020, 10h47 - Publicado em 8 jan 2020, 08h57

O porta-voz do primeiro-ministro do Iraque, Adel Abdul Mahdi, afirmou nesta quarta-feira, 8, que o premiê do país recebeu um aviso prévio do Irã alertando que uma resposta à morte do general Qasem Soleimani era iminente ou estava “a caminho”. Um bombardeio iraniano atingiu duas bases americanas no Iraque na noite de terça.

Segundo o porta-voz, o Irã informou a Mahdi que a retaliação teria como alvo apenas instalações que abrigassem forças americanas no Iraque, mas não especificou quais seriam esses locais.

O premiê recebeu uma ligação dos Estados Unidos simultaneamente à queda dos mísseis nas bases aéreas de Ain Asad, em Anbar, e de Harir, em Erbil, acrescentou o porta-voz.

As forças militares do Iraque afirmaram em comunicado que os bombardeios iranianos não causaram vítimas entre os iraquianos. Não há informações sobre baixas entre americanos ou outros membros da coalizão internacional.

Publicidade

De acordo com a nota, as duas bases foram atingidas por 22 mísseis – dezessete em Anbar e cinco em Erbil.

Ao contrário do ataque americano que matou o general Soleimani, o governo do Iraque não condenou a represália iraniana e nem reivindicou que sua soberania fora violada. O ministro das Relações Exteriores iraniano, Muhammed Javad Zarif, disse pelo Twitter que o Irã “adotou medidas proporcionais de legítima defesa” e que a retaliação ocorreu sob chancela do artigo 51 da carta da Organização das Nações Unidas (ONU). “Não buscamos escalada ou guerra, mas nos defenderemos de qualquer agressão”, completou.

(Com agência Reuters)

Publicidade