Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Irã acusa Turquia de causar ‘tensões’ com escudo de antimísseis da Otan

Por Por Laurent Maillard 8 set 2011, 16h19

Ancara causará “tensões” na região, ao aceitar que sejam instalados em território turco partes do escudo antimísseis da Otan, considerou nesta quinta-feira o Irã, apesar de concordar com a atual diplomacia turca em vários outros âmbitos.

“Esperamos que as políticas dos países vizinhos e amigos (…) não gerem tensões que compliquem as coisas”, declarou o porta-voz da Chancelaria iraniana, Ramin Mehmanparast, segundo o site da televisão estatal.

“Instalar partes do escudo antimísseis da Otan na Turquia não vai melhorar a segurança nem a estabilidade na região”, acrescentou, pedindo a Ancara “maior atenção” quando tomar suas decisões.

A Chancelaria turca havia indicado na semana passada que Ancara, após hesitar muito, aceitava instalar um radar de alerta avançado da Otan para detectar possíveis disparos de mísseis em direção à Europa.

A Otan deseja possuir um sistema antimísseis na Europa, oficialmente para proteger o continente das ameaças procedentes de países como o Irã.

Este projeto também preocupa a Rússia, que exigiu que a Otan abandonasse o projeto em diversas ocasiões.

Continua após a publicidade

Teerã, que nega as acusações das potências ocidentais, havia criticado na segunda-feira implicitamente a decisão da Turquia, ao indicar que ambos os países eram “capazes de garantir completamente sua própria segurança sem intervenção externa”.

Desde então, vários dirigentes iranianos criticaram a Turquia, algo pouco comum, já que, em matéria de política externa, Teerã considera prioritária a aproximação política e econômica com Ancara.

A Turquia é um dos poucos países da região que se negaram a aplicar as sanções ocidentais contra o Irã devido ao programa nuclear da República Islâmica.

Além disso, Teerã saudou a recente mudança de postura turca em relação a Israel, que foi durante anos um importante aliado de Ancara.

Em outro plano, Irã e Turquia anunciaram no início do ano sua intenção de triplicar seu comércio bilateral, apesar dos esforços das potências ocidentais para isolar Teerã.

“Declarações anteriores (da Turquia) foram fonte de esperança para as nações muçulmanas, mas a decisão (relativa à Otan) provoca dúvidas e incerteza”, lamentou na quarta-feira o influente deputado Esmael Kosari, que integra a comissão parlamentar de Relações Exteriores.

“Os países da região não podem aceitar uma contradição deste tipo”, acrescentou, pedindo a Ancara que “volte a examinar sua decisão”, sob pena de que seus interesses sejam “ameaçados”.

Continua após a publicidade
Publicidade