Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Inundações no sul da Rússia deixam ao menos 67 mortos

(Atualiza o número de mortos e acrescenta informação).

Moscou, 7 jul (EFE).- Pelo menos 67 pessoas morreram nas últimas 24 horas em consequência das fortes chuvas que caíram na comarca de Kuban, que fica na região russa de Krasnoda, no litoral do Mar Negro, confirmou à Agência Efe o Ministério do Interior local.

Os serviços de resgate localizaram os corpos de 56 pessoas – sendo uma criança – no distrito de Krimski, informou o porta-voz do centro de emergências do Ministério.

Outras duas pessoas se afogaram na cidade de Novorossiysk, o maior porto do Mar Negro, enquanto nove morreram em diferentes localidades do distrito de Gelendzhik, segundo Zheliabin.

Em Gelendzhik, um dos balneários mais populares da Rússia no Mar Negro, cinco pessoas morreram eletrocutados após serem atingidas por um cabo de alta tensão e um homem se afogou devido às inundações.

Outros dois corpos, o de um homem e uma mulher, foram localizados no porão de uma casa na cidade litorânea de Divnomorskoye, também em Gelendzhik.

As autoridades russas organizaram um centro operacional para atender as consequências da tragédia registrada no sul do país, após chuvas sem precedentes em algumas áreas da catástrofe, como é o caso da cidade de Gelendzhik, que sofreu a maior inundação de sua história.

Em Gelendzhik, um dos balneários mais populares da Rússia no Mar Negro, cinco pessoas – três homens e uma mulher – morreram eletrocutados após a queda de um cabo sobre a rua pela qual passavam enquanto chovia, e outro homem se afogou devido às inundações.

Cerca de 2 mil casas foram inundaram durante as intensas chuvas que caíram sobre o distrito de Gelendzhik, onde a situação se estabilizou nas últimas horas.

Mais de 22 mil pessoas ficaram sem eletricidade, que foi desligada pela segurança dos habitantes da região.

A água inundou as casas e os terrenos de 13 mil pessoas durante as intensas chuvas que caíram sobre a comarca de Kuban, indicou o governador de Krasnodar, Aleksandr Tkachiov.

A situação se estabilizou no distrito de Gelendzhik nas últimas horas, onde mais de 22 mil pessoas ficaram sem eletricidade, que foi desligada por motivos de segurança.

Enquanto isso, as fortes chuvas continuam em Krimski, onde o número de mortos pode seguir crescendo, disse Zheliabin.

Só na zona de Gelendzhik mais de 700 soldados e 100 veículos trabalham no resgate de vítimas. EFE