Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Inundações no Paquistão prejudicam as linhas de suprimentos militares para o Afeganistão

As enchentes que inundaram grande parte do Paquistão e cortaram estradas e ferrovias também interromperam a principal linha de suprimentos para as forças militares dos Estados Unidos e da Otan no Afeganistão.

Caminhões que transportam militares americanos sob lonas azuis ficaram presos num engarrafamento de 50 quilômetros na estrada principal ao sul do porto de Karachi até a capital, Islamabad, no final de semana após a enchente destruir parte da estrada e limitar o tráfego a uma única pista.

Esses caminhões estavam longe de suas rotas habituais para o Afeganistão pelo oeste do Paquistão, que foram completamente interrompidas devido as inundações. Caminhões de abastecimento têm agora de tomar a rota muito mais longa pelo centro do país até Islamabad, e depois por Peshawar até a fronteira afegã. Estradas em Peshawar, no norte, também estão interrompidas.

A maior parte dos suprimentos para militares americanos, incluindo combustível para as bases no sul do país, atravessa o Paquistão desde Karachi ao longo de duas rotas para o Afeganistão, ambas interrompidas pelas enchentes, disseram as autoridades paquistanesas.

O capitão Kevin Aandahi, porta-voz do Comando de Transportes americano, que administra a logística da guerra, disse que as inundações tornaram as linhas de suprimento mais lentas, mas não interromperam a entrega de material para as tropas americanas no Afeganistão.

“O importante é que os suprimentos estão se movendo”, disse Aandahi. Ele disse que não sabia o tamanho da lentidão, mas que as mercadorias ainda estavam chegando ao Afeganistão através das duas principais passagens fronteiriças.

A rota mais ao sul, usada para abastecer a base aérea de Kandahar, no Afeganistão, atravessa a cidade de Sukkur, passa por Jacobabad e Quetta, e cruza a fronteira em Chaman. Essa estrada está submersa. O acesso a Jacobabad foi totalmente interrompido e só se chega à cidade de avião, disse Ejaz Jakaharani, membro do parlamento de Jacobabad.

A outra rota usada pelos caminhões para chegar à capital afegã, Cabul, e à base aérea de Bagram é a estrada Indus, que corre ao longo da margem direita do rio Indus a partir de Karachi até Dera Ismail Khan, o caminho mais curto para Peshawar e a fronteira afegã, pela passagem de Torkham. A estrada está alagada e intransitável ao norte da cidade de Shikapur, disse Nawaz Ali, inspetor da autoridade nacional de estradas.

Caminhões transportando suprimentos militares americanos foram forçados a usar rotas mais longas. Trabalhadores usam pedras para pavimentar a estrada, mas devem levar pelo menos seis dias para abrir 30 quilômetros de caminho, pois a água ainda flui rápido.