Clique e assine com até 92% de desconto

Intoxicação alimentar afeta 800 refugiados em abrigo no Iraque

Duas pessoas morreram e 200 estão em estado crítico. Polícia investiga se incidente foi intencional

Por Da redação Atualizado em 30 jul 2020, 20h43 - Publicado em 13 jun 2017, 10h02

Centenas de moradores de um campo de refugiados perto de Mossul, no Iraque, sofreram uma forte intoxicação alimentar na noite dessa segunda-feira. Segundo o ministro da Saúde iraquiano, uma criança e uma mulher morreram e mais 200 pessoas foram hospitalizados em estado grave. Uma investigação tenta descobrir se a comida foi envenenada.

A refeição servida na segunda-feira após o fim do jejum – no Ramadã, o mês sagrado do Islã, os muçulmanos jejuam durante o dia – foi oferecida por uma organização não-governamental e consistia de uma porção de arroz, feijão e carne, além de iogurte e água. Pouco depois, os refugiados começaram a vomitar e sentir fortes dores de estômago.

A Organização das Nações Unidas informou que, ao todo, 752 pessoas foram afetadas pela intoxicação.

 

  • A ONG britânica Help the Needy Charitable Trust informou que cerca de 2.000 refeições foram distribuídas no campo de refugiados na segunda-feira. Eles responsabilizaram um restaurante local pela qualidade dos alimentos.

    A Acnur, agência para refugiados da ONU, informou que está providenciando um carregamento extra de água potável e aguarda uma investigação policial para esclarecer o incidente, reportou o jornal britânico The Guardian.

    Desde o início da ofensiva iraquiana contra os extremistas do Estado Islâmico, em outubro do ano passado, mais de 800.000 moradores foram forçados a abandonar suas casas. No campo de Hasansham U2, a 20 quilômetros de Mossul, vivem mais de 6.000 refugiados.

     

    Continua após a publicidade
    Publicidade