Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Ingleses querem independência da Escócia mais do que os escoceses

Levantamento divulgado a um ano de referendo sobre independência mostra que ingleses acham que vizinhos são privilegiados

A independência da Escócia tem mais apoio entre os ingleses do que entre os escoceses. Uma pesquisa indica que 24% das pessoas que se definem como “inglesas ou britânicas” são a favor da independência da Escócia, contra 23% entre aquelas que se dizem escocesas. O levantamento faz parte do estudo Atitudes Sociais dos Britânicos, realizada todos os anos pelo NatCen, uma organização independente de estudos sociais, e foi divulgado nesta terça-feira pelo jornal The Times.

O estudo foi feito com 3.000 pessoas. A pesquisa também mostra que atualmente 25% dos ingleses acreditam que a Escócia deveria abandonar a Grã-Bretanha – eram 19% em 2000. Já entre os escoceses, o apoio à independência caiu, segundo a pesquisa, de 30% em 2006, para 23% neste ano.

Os resultados aparecem um ano antes do histórico referendo que será realizado na região, em que os escoceses maiores de 16 anos decidirão se querem que a Escócia seja ou não independente.

A Escócia é um dos três países que integram a Grã-Bretanha, ao lado de Inglaterra e Gales, desde a assinatura do Ato de União com a Inglaterra, em 1707.

Leia também:

Cameron: ‘Escócia está melhor como parte do Reino Unido’

Segundo o The Times, é a primeira vez que uma pesquisa sobre o assunto mostra uma inversão dos números. O jornal aponta que o resultado pode ter relação com o descontentamento de alguns ingleses, que acreditam que a Escócia é privilegiada na partilha dos gastos do governo britânico.

Segundo o levantamento, 44% dos ingleses entrevistados afirmaram que os escoceses recebem dinheiro público suficiente. Em 2000, eram 21%.

Autonomia – Desde 1999, a Escócia tem autonomia para legislar sobre questões internas, como educação, saúde e transportes. Já as relações exteriores e a políticas econômicas ainda são de competência de Londres.

Um dos autores do relatório, John Curtice, da Universidade de Strathclyde, afirmou que a defesa da independência não tem relação com o nacionalismo, mas sim com a sensação dos ingleses de que o pacto de autonomia do fim dos anos 90 com a Escócia os prejudica. “Parece que a Inglaterra é agora menos compreensiva com as demandas de seus vizinhos escoceses”, disse o professor ao The Times.

Um porta-voz do governante Partido Nacionalista Escocês (SNP) afirmou que o estudo de atitudes sociais realizado na Escócia em 2012 confirmou que os escoceses preferem que as decisões sobre seus assuntos sejam tomadas em seu território.

Em 18 de setembro de 2014, os escoceses decidirão se querem que a Escócia seja ou não independente.

(Com agências EFE e France-Presse)