Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Infectados, aglomeração e falta de máscaras: o comício de Trump nos EUA

Primeira ação de campanha do presidente desde o início da pandemia teve membros da equipe com Covid-19 e apoiadores sem nenhum tipo de proteção

Por Da Redação Atualizado em 21 jun 2020, 08h04 - Publicado em 20 jun 2020, 20h59

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, realiza neste sábado, 20, o primeiro comício de sua campanha para reeleição após o início da pandemia do coronavírus. A campanha, que não tinha atos públicos desde março, retoma em Tulsa, no estado de Oklahoma. O discurso ocorre em um ginásio que pode receber até 19 mil pessoas, mas a organização do evento espera que ao menos 100 mil pessoas estejam na cidade para acompanhar o comício. Apesar da expectativa de lotação, havia vários locais vazios na arena.

Vários presentes adentraram à arena sem utilizar máscaras e milhares se aglomeraram na área externa ao complexo antes do início do comício. A organização não exigia o uso de nenhum tipo de proteção aos participantes. O próprio Trump é crítico das medidas de proteção e não vê problemas em realizar o evento dentro de um ginásio. No entanto, os apoiadores que acompanharam o ato no local precisaram assinar um documento isentando o presidente de uma possível contaminação.

Durante o discurso, Trump afirmou que irá fomentar a geração de empregos e a seguridade social. Além das propostas, o presidente também foi para o ataque. Trump buscou atacar políticos democratas e, especificamente, Joe Biden, candidato do partido à Presidência, a quem chamou de “fantoche da esquerda radical”. Sobre o coronavírus, o presidente afirmou que pediu para funcionários da área da saúde “reduzirem a testagem”, porque quanto mais testes, mais infectados há.  Acentuando sua disputa com a China, o presidente voltou a relacionar o vírus ao país asiático, chamando-o de “kung flu”, em referência a arte marcial kung fu e de “vírus chinês”.

  • Seis membros da equipe do presidente Donald Trump tiveram resultado positivo para o Covid-19 antes de um comício, informou a campanha. “Eles apresentaram resultados positivos em centenas de testes realizados, e os procedimentos de quarentena foram imediatamente implementados”, disse Tim Murtaugh, diretor de comunicações da campanha. “Nenhum funcionário positivo com Covid ou qualquer pessoa em contato imediato estará no comício de hoje ou perto dos participantes e funcionários eleitos”.

    Trump agendou uma reunião com milhares de apoiadores em Tulsa, em um esforço para revigorar sua campanha de reeleição. Oklahoma é um dos estados que viu um aumento nos casos confirmados de Covid-19. Até este sábado, os Estados Unidos já contabilizaram 2,2 milhões de casos e registraram cerca de 120.000 mortes.

    (Com Reuters)

    Continua após a publicidade
    Publicidade