Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Índia estende quarentena por mais três semanas, até 3 de maio

Bloqueio total para conter o coronavírus começou no dia 25 de março e expiraria nesta terça-feira, 14; 10.540 casos e 358 mortes foram confirmados no país

Por Da Redação 14 abr 2020, 14h24

O primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, estendeu a quarentena no país por mais três semanas, até o dia 3 de maio. O bloqueio total do comércio e circulação de pessoas para conter o avanço do coronavírus, que começou no dia 25 de março, expiraria nesta terça-feira, 14.

“Do ponto de vista econômico, pagamos um preço alto. Mas a vida do povo da Índia é muito mais valiosa”, disse Modi durante um pronunciamento nacional.

Com o bloqueio, operam apenas serviços essenciais, como serviços de saúde, segurança e supermercados. Todas as lojas, estabelecimentos comerciais, fábricas, oficinas, escritórios, mercados e templos foram fechados. Os ônibus e metrôs interestaduais, suspensos. Atividades de construção também foram interrompidas.

Segundo a emissora de televisão árabe Al Jazeera, a população pobre da Índia é a mais afetada pelas restrições. Milhões de trabalhadores autônomos perderam seus empregos, criando um êxodo urbano de volta às vilas de origem no interior, a centenas de quilômetros de distância, frequentemente a pé.

Alguns morrem no caminho, enquanto outros foram espancados pela polícia por estarem quebrando as regras da quarentena. Fotos e vídeos capturaram os casos de punição física.

  • Modi disse que algumas restrições em áreas afastadas de grandes centros urbanos podem ser atenuadas no dia 20 de abril, para ajudar os trabalhadores que dependem de salários diários. Os locais serão monitorados para avaliar uma possível flexibilização da quarentena. O país tem o maior bloqueio total no mundo, com 1,3 bilhão de pessoas em isolamento obrigatório.

    Até o momento, a Índia tem 10.401 casos de coronavírus confirmados, e 358 pessoas morreram de Covid-19, doença causada pelo vírus. Contudo, conforme reporta a Al Jazeera, especialistas dizem que a Índia não realizou testes suficientes, e que o número real de infecções é muito maior. Com algumas das cidades mais movimentadas do planeta, há receios de que os números possam disparar e sobrecarregar os sistemas de saúde instáveis.

    O anúncio de Modi ocorre em meio a debates sobre como suspender as restrições ao redor do mundo e evitar novas infecções. O presidente francês Emmanuel Macron estendeu a quarentena na França por mais um mês, mas Itália e Áustria estão reabrindo algumas lojas, e a Espanha está reiniciando as obras de construção e os trabalhos nas fábricas.

    Continua após a publicidade
    Publicidade