Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Índia acusa Paquistão de matar soldados na Caxemira

Tropas paquistanesas fizeram emboscada que deixou cinco indianos mortos, diz governo da Índia na região. Ataque pode ameaçar conversas de paz

Por Da Redação 6 ago 2013, 05h29

A Índia acusou nesta terça-feira o Paquistão de matar cinco de seus soldados em uma emboscada na região fronteiriça da Caxemira, em um ataque que eleva a tensão regional em meio às negociações para a retomada das conversas de paz entre os dois países. “Fui informado nesta manhã que cinco soldados morreram em um ataque paquistanês na Linha de Controle no setor de Poonch”, escreveu no Twitter o chefe do governo regional na Caxemira indiana, Omar Abdullah.

Leia também:

Animação paquistanesa mostra super-heroína que luta por educação

Talibãs atacam prisão e libertam 250 presos no Paquistão

De acordo com a imprensa indiana, tropas paquistanesas entraram no território da Índia durante a madrugada, pouco depois da meia-noite, e atacaram um grupo de soldados indianos que patrulhavam perto da chamada Linha de Controle, que separa os dois países.

Continua após a publicidade

O ataque pode afetar os planos para a retomada do diálogo de paz entre os dois vizinhos rivais, que devem negociar no final deste mês a gestão da bacia hidrográfica que compartilham. Além disso, o primeiro-ministro da Índia, Manmohan Singh, e o recentemente eleito líder paquistanês, Nawaf Sharif, devem se encontrar em setembro na Assembleia Geral da ONU, em Nova York.

Conflito – A troca de tiros na fronteira é comum na região da Caxemira, dividida entre Paquistão e Índia e disputada pelos países há 66 anos, desde a partilha do subcontinente indiano e sua independência do Império Britânico, em 1947.

Em março, um ataque às forças indianas em Srinagar, principal cidade da Caxemira, terminou com sete mortos. Em janeiro deste ano, ocorreram vários conflitos armados na região, que terminaram com a morte de cinco soldados: dois indianos e três paquistaneses. A Índia criticou na época o Paquistão por ter decapitado um de seus soldados, mas a acusação foi rejeitada pelos paquistaneses.

Os dois países possuem, desde o final dos anos 1990, armas nucleares e travaram duas guerras e outros conflitos menores nas últimas seis décadas pela soberania da Caxemira. Além disso, ambos têm dezenas de milhares de soldados mobilizados na fronteira, uma das mais militarizadas do planeta.

A Índia suspendeu um processo de paz com o Paquistão depois dos ataques a Mumbai em 2008. As conversas só foram retomadas três anos depois, mas as negociações nunca evoluíram ao ponto de resultar em um acordo.

(Com agência EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade