Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Incêndio em fábrica em Nova Délhi, na Índia, mata ao menos 43

Local era usado como dormitório por trabalhadores. De acordo com o último balanço, pelo menos 16 pessoas foram hospitalizadas até ao momento 

Por Redação - Atualizado em 8 dez 2019, 12h15 - Publicado em 8 dez 2019, 11h50

Pelo menos 43 pessoas morreram neste domingo, 8, em um incêndio em uma fábrica no centro de Nova Délhi, capital da Índia. O incêndio, que começou às 5h30 (hora de Brasília), já foi controlado, em uma operação que, segundo o Corpo de Bombeiros, mobilizou 25 viaturas. A polícia da capital da Índia está investigando as causas do incêndio. De acordo com o último balanço, pelo menos 16 pessoas foram hospitalizadas até ao momento e outras 62 pessoas foram resgatadas de dentro da fábrica.

Segundo as autoridades indianas, a fábrica também servia de dormitório para os trabalhadores. A maioria das pessoas dormia quando o incêndio começou e morreu de asfixia.

A polícia da cidade anunciou a prisão do dono da fábrica. A informação foi confirmada pela porta-voz da corporação, Monika Bhardwaj. O empresário, identificado como Rehan, e o gerente da empresa, foram detidos. Além disso, outras duas pessoas estão prestando depoimentos. O objetivo é encontrar o gestor de fato da fábrica.

De acordo com a agência de notícias indiana “ANI”, os presos estão sendo acusados por provocar a morte de pessoas por negligência, o que pode resultar em penas de até dois anos de prisão.

Publicidade

O ministro da Aviação Civil da Índia, Hardeep Singh Puri, visitou a fábrica e afirmou que “a causa imediata” da tragédia foi um curto-circuito, embora tenha garantido que ainda espera as investigações para saber o que provocou o início do fogo.

Em várias cidades da Índia, as fábricas e pequenas unidades industriais estão localizadas em bairros antigos e apertados, onde o preço dos imóveis é mais baixo. À noite, esses prédios costumam servir de dormitório para os trabalhadores pobres, a maioria deles migrantes, que economizam dinheiro ao dormir no local de trabalho.

No país, as leis de construção e as normas de segurança são frequentemente desrespeitadas por construtores e moradores, razão pela qual ocorrências como esta são comuns. Em 1997, um incêndio em um cinema em Nova Délhi matou 59 pessoas. Já em fevereiro deste ano, 17 pessoas morreram devido a um incêndio em um hotel de seis andares, também na capital indiana. O fogo começou numa cozinha não autorizada na cobertura do edifício.

Em mensagem no Twitter, o primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, classificou o incêndio como “horrível”. “Os meus pensamentos estão com aqueles que perderam os seus entes queridos. Desejo aos feridos uma rápida recuperação”, disse o premiê. “As autoridades estão a dar toda a assistência possível no local da tragédia”, acrescentou.

Publicidade

(com Agência Brasil e EFE)

Publicidade