Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Incêndio destruiu edifício histórico de Paris

Hotel Lambert, que hospedou Chopin e Voltaire, pegou fogo nesta madrugada

Por Da Redação 10 jul 2013, 11h10

A mansão Lambert, joia arquitetônica de Paris construída no século XVII e que pertence à família do emir do Catar, foi destruída por um incêndio nesta quarta-feira. A construção, obra do arquiteto Louis Le Vau, fica na Ile St. Louis, um dos bairros mais antigos da capital francesa.

O incêndio, que não deixou vítimas, começou no teto e no telhado do edifício. Os bombeiros combateram as chamas durante mais de oito horas, da 1h30 da manhã à 9h locais (4h de Brasília). O porta-voz dos bombeiros, Pascal Le Testu, não acredita que o incêndio tenha sido criminoso, mas não esclareceu se o problema foi elétrico, segundo o jornal francês Le Figaro. Investigadores já estão no local para começar a busca por evidências que expliquem a causa do fogo.

O Hotel Lambert, um dos edifícios mais tradicionais e importantes de Paris, hospedou personalidades como o compositor polonês Frédéric Chopin e o escritor e filósofo francês Voltaire. O prédio foi comprado em julho de 2007 pelo irmão do então emir do Catar por 60 milhões de euros e, desde então, virou alvo de uma controvérsia em Paris.

Obras – Os planos de renovação do novo dono provocaram uma série de batalhas judiciais em Paris. Muitos arquitetos se opuseram ao projeto de reforma no edifício, que incluía elevadores, ar-condicionado, um estacionamento subterrâneo e um elevador para veículos. O arquiteto francês Jean-François Cabestan disse que os planos transformariam o prédio histórico em uma “monstruosidade com a estética de uma casa de campo de James Bond”. Após as disputas na Justiça, algumas modificações foram vetadas. A renovação teve início em 2010.

(Com agência France-Presse)

Continua após a publicidade
Publicidade