Clique e assine com até 92% de desconto

Incêndio atinge prédio perto da torre mais alta do mundo em Dubai

Incidente aconteceu nas obras de conjunto residencial e deixou quatro feridos, segundo autoridades. Fumaça cobriu o Burj Khalifa, prédio mais alto do mundo

Por Da Redação 2 abr 2017, 11h35

Uma construção pegou fogo ao lado do prédio mais alto do mundo, em Dubai, nos Emirados Árabes, neste domingo. O incêndio aconteceu nas obras de um conjunto residencial e deixou quatro feridos, segundo as autoridades locais. O incidente recobriu o Burj Khalifa — arranha-céu mais alto do mundo, com 828 metros – com grandes nuvens pretas.

  • O incêndio teve início por volta das seis e meia da manhã locais e onze e meia da noite, no horário de Brasília. Os bombeiros rapidamente chegaram ao local e controlaram o fogo, que se alastrou até o topo do prédio. As equipes da Defesa Civil e da Polícia de Dubai também resgataram com vida os quatro trabalhadores que ficaram presos na construção, um deles em estado grave.

    View this post on Instagram

    فرق الدفاع المدني بدبي وبمشاركة فرق إنقاذ شرطة دبي تنقذ ثلاثة عمال حاصرتهم النيران داخل المبنى وتم تحويلهم لفرق الاسعاف للاطمنان على صحتهم

    Continua após a publicidade

    A post shared by الدفاع المدني دبي (@dcd997) on

    Para auxiliar na operação, a equipe de resgate utilizou um drone que se aproximou do alto da construção para filmar as chamas. Pequenas explosões puderem ser ouvidas a cada poucos minutos, provavelmente causadas pelos materiais de construção inflamáveis. Ainda não se sabe a causa do incidente, mas a defesa civil acredita que foi um acidente no estacionamento subterrâneo do complexo em construção que se alastrou por todo o prédio.

    https://twitter.com/DCDDubai/status/848370618257027072
    A obra, desenvolvida pela construtora Emaar Properties, está prevista para ser entregue em abril de 2018, terá sessenta andares, 788 apartamentos e um hotel que serão conectados ao Dubai Mall, maior shopping do mundo. Ela está a três blocos luxuoso hotel The Address, que pegou fogo no ano novo de 2015. Especialistas acreditam que um revestimento altamente inflamável e muito utilizado na região seria a principal causa dos recorrentes incêndios na cidade.

     

    Continua após a publicidade
    Publicidade