Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Imprensa francesa reclama do mi-mi-mi de seus atletas na Rio-2016

Um artigo publicado pelo jornal Le Monde chamou os franceses de "maus perdedores" e criticou o excesso de desculpas dos atletas

Até a imprensa da França está cansada das reclamações dos atletas do país durante os Jogos Olímpicos do Rio. Nesta quarta-feira, após competidores derrotados culparem a torcida e até o Comitê Olímpico Internacional (COI) por suas falhas, o jornal Le Monde publicou um artigo no qual chama os franceses de “maus perdedores”.

“Qual será a próxima desculpa de um atleta francês para fugir após uma falha?”, questiona o jornal. “Estamos ansiosos para ouvir Christophe Lemaitre justificar a sua eliminação nas semifinais dos 200 metros porque ‘os sapatos de Bolt são brilhantes demais’”, brinca o texto.

Não faltaram críticas do Le Monde ao atleta Renaud Lavillenie, do salto com vara, que culpou o comportamento dos brasileiros por não ter alcançado o ouro olímpico. O atleta chegou a fazer uma infeliz comparação com o caso de Jesse Owens, vaiado por ser negro durante os Jogos de 1936, na Alemanha nazista. “Queremos entender se Lavillenie perdeu seu título porque não saltou tão alto (5,98m) quanto Thiago Braz (6,03m) ou porque o público vaiou”, ironiza a publicação.

Outros casos de franceses que guardaram mágoas da Rio-2016 também foram lembrados pelo Le Monde, como o nadador Camille Lacourt, que ficou revoltado por ter perdido para os chineses e acusou os atletas de doping. “Isso me dá vontade de vomitar. Dá muita tristeza ver o meu esporte desta maneira. Ver pessoas que trapacearam no pódio me enoja”, disse Lacourt.

Leia também:
Derrotado por Thiago, francês reclama de vaias dos brasileiros
Candomblé pode explicar ouro no salto com vara, sugere ‘Le Monde’
NYT critica excesso de matérias negativas sobre a Rio-2016

Segundo o Le Monde, o levantador de peso Bernardin Matam usou a mesma justificativa que o nadador para a derrota e ainda pôs a culpou nas autoridades esportivas. “Se a Federação Internacional e o COI fizessem as coisas direito, eu poderia ganhar facilmente pelo menos quatro lugares, porque os cinco primeiros não estavam limpos”, disse Matam após tirar a oitava posição na categoria com menos 69 kg.

A lista do jornal é longa, como os judocas que reclamaram das decisões da arbitragem e a dupla Caroline Garcia e Kristina Mladenovic, que culpou a Federação Francesa de Tênis por não saber que as atletas precisavam usar roupas da mesma cor – e ficarem estressadas por terem que se trocar. Alguns perderam medalhas, mas, para o Le Monde, há algo em que ninguém bate os franceses: justificar suas derrotas.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Sergio Ricardo Pavlov

    Os únicos franceses que eram honestos para conseguir vitórias eram o Prost e o Ballestre…
    Ayrton Senna bem poderia testemunhar isso, naquele episódio em que Prost foi campeão no Japão..

    Curtir

  2. Jhonny Everton Candido

    É lastimável que a delegação francesa não saiba perder com dignidade, é mais difícil para os brasileiros se provarem na própria casa e o que dizer dos Estados Unidos que passaram pelas mesmas torcidas e lideram no ranking de medalhas, talvez eles voltem para França com menos orgulho e aprendam com os atleras brasileiros que treinam em condições precárias e se superam.

    Curtir