Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Autoridades confirmam uma morte em passagem do Furacão Harvey

Prefeito da cidade de Rockport disse que o fenômeno deixou uma "devastação generalizada" e que "algumas casas, escolas e comércios foram danificados"

Por Da redação - Atualizado em 27 ago 2017, 16h33 - Publicado em 26 ago 2017, 13h01

O prefeito da cidade americana de Rockport, Charles Wax, confirmou neste sábado que pelo menos uma pessoa morreu na passagem do Furacão Harvey pelo Texas. O município fica a pouco mais de 300 km da capital do estado, Austin.

Wax, que não deu detalhes sobre a identidade da vítima, disse que o furacão deixou uma “devastação generalizada” e que “algumas casas, escolas e comércios foram fortemente danificados ou completamente destruídos”.

O juiz Burt Mills, do condado de Aransas, ao qual pertence Rockport, especificou que a pessoa que morreu “ficou presa em sua casa durante um incêndio no meio da tempestade”. Os funcionários locais indicaram que há entre 12 e 14 pessoas que sofreram ferimentos leves devido à tempestade.

Rockport, uma cidade de quase nove mil habitantes, amanheceu devastada, com ruas completamente alagadas, árvores derrubadas, sinais de trânsito arrancados, edifícios danificados e até barcos virados pela força do vento, de acordo com imagens transmitidas pelas emissoras locais.

Publicidade

O maior furacão a atingir a costa do Texas, nos Estados Unidos, em mais de 50 anos se moveu neste sábado de forma mais lenta e perdeu força em direção ao interior, após causar grandes enchentes e ventos de até 210 quilômetros por hora.

O furacão enfraqueceu para categoria 1 enquanto se movia pelo Texas e provavelmente vai se tornar uma tempestade tropical, afirmou o Centro Nacional de Furacões dos EUA.

O fenômeno alcançou o estado na sexta-feira como um furacão de categoria 4 na escala Saffir-Simpson. Esta é a segunda categoria mais forte na escala medida pela velocidade sustentada de ventos. Antes de perder força, o Harley deixou cerca de 300 mil pessoas no Texas sem eletricidade na noite desta sexta-feira.

(Com Reuters e EFE)

Publicidade