Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Identificado o soldado americano suspeito de assassinar 16 afegãos

(Atualiza com mais detalhes sobre o soldado).

Washington, 16 mar (EFE).- O soldado americano suspeito de assassinar 16 civis afegãos no final de semana passado foi identificado nesta sexta-feira como Robert Bales e é esperado na base de Fort Leavenworth, no Kansas (Estados Unidos).

Fontes militares que pediram anonimato confirmaram a identidade do suspeito a várias emissoras de televisão, que revelaram que o sargento tem 38 anos, uma mulher e dois filhos, de 3 e 4 anos.

Bales, nascido em Ohio, foi transferido na quarta-feira passada do Afeganistão ao Kuwait, onde esteve em prisão preventiva para garantir sua integridade, e ainda não foi acusado oficialmente.

A expectativa é que o suspeito chegue hoje à base militar do Kansas, segundo antecipou à ‘CNN’ seu advogado, John Henry Browne.

O advogado destacou que seu cliente é um soldado com histórico ‘exemplar’, foi ferido e condecorado no Iraque, onde sofreu traumatismo cerebral e perdeu parte de um pé e mesmo assim foi enviado de novo à frente de batalha.

‘Não entendo por que voltaram a enviá-lo ao Afeganistão’, afirmou o advogado, frisando que em suas conversas com os parentes de Bales deduziu que eles não esperavam que o soldado voltasse à batalha e o próprio não queria ir.

O suspeito alistou-se nas Forças Armadas uma semana depois dos ataques terroristas de 11 de setembro de 2001, porque ‘sentia que era seu dever defender os EUA’, declarou Browne.

Segundo disse na quinta-feira um alto funcionário americano ao jornal ‘The New York Times’, o soldado consumiu álcool antes do massacre e lutava contra o estresse e tensões com sua mulher, embora de acordo com Browne não existisse problemas entre o casal.

A esposa, que segundo o advogado se encontra em estado de choque após o fato, e os dois filhos do soldado foram transferidos por motivos de segurança à base de Lewis-McChord, no estado de Washington, à qual pertence o militar.

Antes, residiam na localidade de Lake Tapps, a cerca de 30 quilômetros da base, onde os vizinhos lhes descreveram como uma ‘família feliz’.

O histórico judicial de Bales, consultado pelo ‘The New York Times’, revela que foi o soldado foi acusado de assalto em 2002 e de atingir um automóvel estacionado e fugir em 2008, mas ambas as acusações não foram à frente.

A identificação do soldado coincidiu com as críticas do presidente afegão, Hamid Karzai, que acusou nesta sexta-feira os Estados Unidos de não cooperarem com a delegação que ele enviou à província de Kandahar para investigar o caso. EFE