Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Humala troca 10 embaixadores do Peru – Brasil está na lista

Representantes são considerados 'políticos' porque foram designados devido à proximidade com o governo do presidente em fim de mandato, Alan Garcia

A equipe de governo do presidente eleito do Peru, Ollanta Humala, anunciou nesta terça-feira a saída de dez dos atuais embaixadores do país. Eles representam os interesses peruanos na Argentina, Brasil, Costa Rica, Cuba, El Salvador, Espanha, Estados Unidos, Guatemala, México e também na Unesco. De acordo com uma resolução publicada no Diário Oficial do país, os diplomatas têm até o dia 15 de julho para encerrar suas funções.

Esses embaixadores são considerados “políticos” pela nova gestão porque foram designados devido à sua proximidade com o governo do presidente em fim de mandato, Alan Garcia. A sua administração acreditava ser indispensável que alguém da máxima confiança do chefe de governo ocupasse postos cruciais da diplomacia, como as posições de Washington, Madri e Brasília.

O cargo de embaixador junto à Unesco também é considerado extremamente importante no organograma diplomático peruano, visto que a organização fiscaliza o cuidado e a conservação do rico legado arqueológico do país. Recentemente, por exemplo, o órgão discutia se a cidadela inca de Machu Picchu entraria na lista de “patrimônios em perigo”.

Política Externa – O governo de Humala assumirá suas funções em 28 de julho. Ele elaborará, então, sua política externa, sobre a qual o presidente eleito já deu algumas pistas. Apesar de escolher o Brasil como primeiro destino em uma viagem por países do Mercosul, logo após sua eleição, o nacionalista deixa um clima de incerteza em relação às empresas brasileiras. No último dia 15, a nova administração anunciou o cancelamento da licença de concessão temporária que a Eletrobrás e a OAS tinham para construir uma hidrelétrica no Peru, uma obra orçada em US$ 4,9 bilhões.

(Com agência EFE)