Clique e assine a partir de 8,90/mês

‘Houve vezes que quis empurrar Barack pela janela’, diz Michelle Obama

Em podcast, ex-primeira-dama dá conselhos matrimoniais, dizendo que tempos difíceis são normais — e que casar-se é como montar um time de basquete

Por Amanda Péchy - Atualizado em 9 set 2020, 16h29 - Publicado em 8 set 2020, 16h44

Michelle Obama, ex-primeira-dama dos Estados Unidos, parece ter a vida perfeita. Não só teve uma carreira bem sucedida como advogada e consagrou-se como autora best-seller, com “Minha História”, mas também tornou-se quase tão conhecida quanto seu marido, Barack Obama, durante seus mandatos na Presidência. Contudo, no mais recente episódio do seu programa “The Michelle Obama Podcast”, ela afirmou que o casamento já passou por maus bocados, aconselhando jovens casais a aceitarem o trabalho duro de uma relação duradoura.

“Casais jovens atingem períodos difíceis [no casamento] e desistem, porque ninguém os avisou que seria tão difícil. Haverá longos períodos de tempo em que vocês não vão se aguentar, houve vezes que quis empurrar Barack pela janela”, diz Michelle, em conversa com o comediante americano Conan O’Brien.

Por outro lado, ela afirma que é preciso normalizar os tempos turbulentos: “Eu e Barack passamos por maus bocados, mas nosso casamento é forte. Se eu tivesse desistido, teria perdido também toda a beleza da relação.”

Casamento ‘bagunçado’

A autora conta que houve duas coisas que viraram seu casamento de cabeça para baixo: o nascimento de suas filhas e a Presidência. Ela descreve que, enquanto os cinco anos iniciais da união foram “divinos, porque éramos duas pessoas independentes”, a chegada das crianças, embora uma alegria, também “bagunçou o casamento”.

“Foi a primeira vez que senti a picada dos papéis de gênero. Só o ato de dar à luz cria uma desigualdade em oportunidades”, diz Michelle, enumerando aspectos da maternidade, como a amamentação, que representam obstáculos para a carreira de uma mulher e sua existência independente. Ela brinca que, enquanto estava ocupada com as bebês, “Barack estava na academia, e o ressentimento começou a se acumular”.

Quando Barack Obama foi eleito presidente dos Estados Unidos, em 2008, também houve uma ruptura severa na dinâmica do relacionamento: “Uma Presidência é quase como dobrar a intensidade e duração da instabilidade. Se o seu casamento não for sólido, uma vida pública vai expor isso”, diz.

Ela conta que, de repente, viu-se casada com o “comandante chefe” americano. “Quando seu marido é o homem mais poderoso do país, e talvez do mundo, isso significa que você está em segundo lugar em todos os âmbitos. Isso pode causar tensão em um casamento”, afirma.

O casal, que se conheceu em 1989, vai comemorar seu 28º aniversário de casamento no mês que vem.

Continua após a publicidade

Time de basquete

Michelle conta que sempre soube que queria casar-se, mas quando começou a namorar Barack Obama, aprendeu que “nem todo mundo tem essa perspectiva”, e que os dois discutiram “muito sobre o valor e a necessidade do casamento”. Mesmo assim, a ex-primeira-dama conta que o marido lhe chamou a atenção desde o começo, porque ele “sabia o que queria e não tinha medo de dizer” – “não fazia joguinhos”.

“Não acredito em amor à primeira vista. Para estar com alguém, precisa passar por situações em que essa pessoa está triste, ou com raiva, e descobrir como trata sua própria mãe”, diz Michelle. “Pessoas não são perfeitas”, completa.

Mesmo sem perfeição, ela defende que a escolha do parceiro deve ser um processo minucioso e de padrões altos – e que haveria menos divórcios se pessoas escolhessem casar-se da mesma forma que se escolhe um time de basquete: “Teríamos melhores casamentos. Em um time de basquete, você quer que todos sejam fortes, que tenham diversas habilidades. É preciso escolher o Lebron James, não o cara na terceira fileira que não entrou para o time”, afirma, fazendo referência ao jogador do Los Angeles Lakers.

Jeito ‘advogado’ de discutir

Além disso, fechando a coleção de conselhos matrimoniais, Michelle diz que a comunicação é a chave de um relacionamento saudável – um grande clichê, mas também uma grande verdade.

“Eu e Barack temos um jeito ‘advogado’ de discutir. Nós dois gostamos de vencer e sabemos como ganhar uma discussão”, diz a ex-primeira-dama. “Quando éramos noivos, estávamos discutindo no meu carro e eu tirei meu anel e joguei longe. Mas eu sabia exatamente onde ele caiu, estava blefando”, conta, entre risadas.

A ex-primeira-dama estudou na Universidade Princeton e posteriomente na faculdade de Direito de Harvard, duas das mais prestigiosas instituições de ensino. Já Barack é graduado em Ciências Políticas pela Universidade Columbia e em Direito por Harvard.

Só que, ao longo do casamento, Michelle percebeu que seu marido “sente as coisas muito mais profundamente e por um longo período de tempo. Tive que aprender a me comunicar de uma maneira que ele pudesse entender”, afirma, completando que, para sustentar uma relação a longo prazo, é preciso entender o contexto do parceiro e falar com ele, ou ela, desta perspectiva.

“A essência de quem somos é feita de pedaços: nossos relacionamentos com nossos pais, irmãos, parceiros, filhos, colegas de trabalho. Tudo isso nos contextualiza e nos dá substância”, declara Michelle.

Continua após a publicidade
Publicidade