Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Hospitais de NY lutam para salvar sobreviventes de incêndio

Até o momento, há 17 mortos e dezenas de feridos

Por Da Redação Atualizado em 10 jan 2022, 15h57 - Publicado em 10 jan 2022, 12h06

Hospitais trabalhavam na manhã desta segunda-feira, 10, para tentar salvar as vidas de diversas pessoas feridas gravemente no domingo em um incêndio em um prédio residencial no Bronx, um dos mais mortais na cidade de Nova York em décadas. Até o momento, há 17 mortos, sendo nove deles menores de idade.

Ao menos 13 pessoas foram levadas para hospitais em estado grave e não havia mais informações sobre a saúde delas na manhã desta segunda-feira.

“É uma tragédia terrível, e nossos pensamentos estão com as famílias dos afetados”, afirmou o Jacobi Medical Center, um hospital municipal operado pelo sistema de saúde local, acrescentando ter recebido 19 pacientes. “É um momento difícil pra estes pacientes, para suas famílias e para nossa comunidade.

Segundo o comissário dos bombeiros de Nova York, Dan Nigro, investigadores determinaram que o incêndio foi causado por um aquecedor elétrico de um dos apartamentos. De acordo com a perícia, as chamas teriam começado na sala de um duplex entre o segundo e terceiro andar, da torre com 19 pavimentos e 120 unidades. Ao saírem do local, os ocupantes do apartamento deixaram a porta aberta, o que contribuiu para a rápida propagação do fogo.

O incidente é o mais mortal na cidade desde 1990, quando 80 pessoas morreram em um incêndio criminoso em um clube no Bronx, e acontece poucos dias depois de outro incêndio deixar ao menos 13 mortos, incluindo oito crianças, na Filadélfia.

Continua após a publicidade

Ao menos 200 bombeiros foram ao local, e, segundo o comissário, oficiais encontraram vítimas em cada andar, muitas com paradas cardiorrespiratórias.

Embora as chamas tenham danificado apenas uma parte do prédio, fumaça e cinzas tomaram as escadas e corredores, prendendo moradores em seus apartamentos e incapacitando os que tentaram fugir.

De acordo com Nigro, o edifício, construído em 1972 com apoio verba federal, não tinha saídas de incêndio, apenas escadas internas. Por conta da origem federal, segundo o comissário, “foi possivelmente construído fora do código de incêndio da cidade de Nova York”.

Prédios mais novos na cidade precisam ter sistemas de sprinkler e portas internas que fecham automaticamente para conter a fumaça e reduzir o acesso do fogo ao oxigênio. Como o prédio era antigo, no entanto, as regras não se aplicavam.

Apesar de estar equipado com alarmes de incêndio, diversos moradores afirmaram que costumavam ignorá-los porque frequentemente disparavam sozinho no prédio.

Continua após a publicidade

Publicidade