Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Homem é preso por estupro e assassinato de jornalista búlgara

Viktoria Marinova foi encontrada morta no último sábado (7); apresentadora havia investigado caso de corrupção com dinheiro da União Europeia na Bulgária

Um homem foi detido perto da cidade de Hamburgo, na Alemanha, como principal suspeito do assassinato da jornalista búlgara Viktoria Marinova, de 30 anos.

Segundo as autoridades da Bulgária, o suspeito foi identificado como Severin Krasimirov e foi preso pela polícia alemã após pedido oficial. Ele é morador da cidade búlgara de Ruse e nasceu no ano de 1997.

O corpo da jornalista de 30 anos foi encontrado na tarde do último sábado (7) em Ruse, gerando uma onda de indignação na Bulgária e em toda a Europa. Segundo as investigações e autópsias, a mulher foi estuprada antes de ser agredida com socos até a morte.

Viktoria era uma apresentadora e diretora da TVN, um canal privado local. As primeiras investigações apontam que o crime não está relacionado com a profissão da vítima.

Os agentes búlgaros encontraram na residência do suspeito, em Ruse, vários objetos relacionados à jornalista. As amostras de DNA de Krasimirov também coincidem com as impressões digitais encontradas no corpo da vítima, segundo o ministro do Interior búlgaro, Mladen Marinov.

O suspeito, que tem antecedentes por roubo em 2007, fugiu no domingo para a Alemanha.

“Nesta etapa, não podemos dizer que o assassinato está relacionado com a vida profissional da vítima”, disse o procurador-geral Sotir Tsatsarov, durante entrevista coletiva, embora tenha acrescentado que “todas as hipóteses” estão abertas.

Ele afirmou que o suspeito recebeu acusações por estupro com uso de força e assassinato, o que pode acarretar até em prisão perpétua. Tsatsarov disse ainda que Krasimirov estava alcoolizado e que parece ter sido um “ataque espontâneo com intenções sexuais” no momento do crime.

Após atingi-la no nariz e no rosto, a arrastou até uma região arborizada e a estuprou de forma “brutal e perversa”, segundo o procurador-geral.

“Depois foram mais golpes: o suspeito treinava boxe. O resultado desses golpes causou mais traumas em seu crânio” e levou à morte da vítima, acrescentou Tsatsarov.

Viktoria investigou um caso de corrupção com dinheiro da União Europeia na Bulgária, com propinas a empresários e políticos locais. A imprensa local especulava que a publicação da reportagem sugeria um possível motivo para o crime.

O primeiro-ministro búlgaro, Boyko Borisov, criticou a imprensa búlgara por oferecer uma “imagem negra” do país ao vincular a morte da jornalista com sua reportagem investigativa e especular que se tratava de um assassinato por encomenda.

“Se tivesse sido por encomenda, o autor não deixaria sua saliva sobre o corpo”, argumentou Borisov.

(Com EFE)