Clique e assine a partir de 9,90/mês

Homem é baleado em protesto contra racismo no Novo México

Manifestantes protestavam contra estátua do conquistador espanhol e pretendiam derrubá-la; ato foi interrompido por grupo de extrema direita

Por Da Redação - Atualizado em 16 jun 2020, 17h14 - Publicado em 16 jun 2020, 15h59

Um homem ficou gravemente ferido após ser baleado em um protesto contra o racismo no Novo México, nos Estados Unidos. Os manifestantes protestavam contra a manutenção da estátua do conquistador espanhol Juan Oñate em frente a um museu e pretendiam derrubá-la. Segundo relatos, membros de uma milícia de extrema direita provocaram violência e fizeram disparos.

Na manhã desta terça-feira, 16, o Departamento de Polícia de Albuquerque anunciou ter prendido um homem por envolvimento no ataque. Stephen Ray Baca, de 31 anos, está sendo acusado de lesão corporal grave.

ASSINE VEJA

Os desafios dos estados que começam a flexibilizar a quarentena O início da reabertura em grandes cidades brasileiras, os embates dentro do Centrão e a corrida pela vacina contra o coronavírus. Leia nesta edição.
Clique e Assine

De acordo com o jornal local Albuquerque Journal, cerca de 300 pessoas participavam da manifestação enquanto um grupo de homens brancos fortemente armados observava. Quando o ato se aproximou da estátua de Juan Oñate, um homem iniciou uma discussão e foi empurrado para o meio da rua. Durante a briga, membros da milícia então correram em direção à multidão e cinco tiros foram ouvidos.

A polícia usou gás lacrimogêneo para dispersar os protestos e deteve as pessoas envolvidas no tiroteio. O incidente deu-se poucas horas depois de manifestantes no norte do Novo México terem celebrado a remoção de outra estátua de Juan de Oñate, que estava em exibição num centro cultural da comunidade de Alcalde.

Continua após a publicidade

Os funcionários do condado de Rio Arriba decidiram removê-la para a proteger de possíveis danos, depois de uma petição pública exigir que a estátua fosse retirada. Juan de Oñate (1550-1626), que chegou ao atual Novo México em 1598, foi um explorador espanhol e governador colonial do então vice-reino.

O conquistador divide opiniões: é celebrado como uma figura importante pelos descendentes dos colonos espanhóis, mas considerado uma afronta pelos indígenas americanos. O espanhol ficou conhecido pela chacina de quase 1 milhão de pessoas e por ter ordenado a amputação do pé direito de quase uma centena de guerreiros tribais.

A prefeitura de Albuquerque afirma que irá remover a estátua do conquistador espanhol até que uma comissão decida o seu destino. O homem baleado está internado em estado grave, mas estável.

De acordo com a polícia de Albuquerque, há relatos de que grupos de milicianos agem para instigar a violência durante os protestos, que seguem se repetindo na capital do Novo México semanas após a morte de George Floyd por policiais em Minneapolis. “Se isso for verdade, nós vamos fazer com que respondam por seus atos, incluindo do crime federal de formação de grupos de ódio”, disse o chefe da Polícia, Michael Geier.

Publicidade