Clique e assine com até 92% de desconto

Homem baleado por policial nos EUA está algemado em hospital, diz família

Jacob Blake, um homem negro de 29 anos, foi internado após ter sido atingindo sete vezes pelas costas por um policial branco e está paralisado

Por Da Redação Atualizado em 28 ago 2020, 18h09 - Publicado em 28 ago 2020, 17h48

A família de Jacob Blake, hospitalizado em Wisconsin após ser baleado por um policial, disse na quinta-feira 27 que ele está algemado à cama, apesar de uma paralisia devido aos ferimentos. Segundo familiares, o pai de Blake afirmou que ficou “com o coração partido” ao ver seu filho preso ao leito do hospital.

“Ele está paralisado e não consegue andar. Mesmo assim, eles o algemaram à cama. Por quê?”, questionou Justin Blake, tio da vítima.

Blake, um homem negro de 29 anos, foi baleado sete vezes nas costas por Rusten Sheskey, um policial branco que tentava detê-lo, no domingo 23. O incidente ocorreu por conta de uma ligação de uma mulher para a polícia, dizendo que “seu namorado estava presente e não deveria estar no local”, segundo a Divisão de Investigação Criminal do Departamento de Justiça de Wisconsin.

Um despachante nomeou Blake e, cinco minutos depois, recebeu relatos de tiros. A Divisão de Investigação Criminal do Departamento de Justiça não deu detalhes de porquê o conflito se agravou, divulgando apenas que o suspeito admitiu que tinha uma faca.

Depois que os policiais tentaram prendê-lo, usando uma arma de choque, Blake tentou entrar em seu veículo, onde estavam seus três filhos pequenos. Os investigadores estaduais não divulgaram se ele ameaçou usar a faca, ou por qual motivo Sheskey atirou tantas vezes nas costas – e não menciona a presença dos filhos no veículo ou outros membros da família a poucos metros de distância.

ASSINE VEJA

A esperança dos novatos na bolsa Leia nesta edição: a multidão de calouros no mercado de ações, a ‘lista negra’ de Bolsonaro e as fraudes na pandemia
Clique e Assine

Andrew Yang, um ex-candidato presidencial democrata que comenta para a emissora americana CNN, disse na quinta-feira que conversou com o pai de Blake, que está feliz por seu filho estar acordado, mas com raiva pela restrição.

“Seu pai realmente usou as palavras ‘correntes’. Ele disse que o filho está acorrentado”, disse Yang em entrevista à CNN.

Continua após a publicidade

O governador de Wisconsin, Tony Evers, disse em uma coletiva de imprensa que “não conseguia imaginar” o motivo pelo qual Blake foi algemado.

“Eu não tenho uma compreensão pessoal de por que isso seria necessário”, disse Evers. “Espero que possamos encontrar uma maneira melhor de ajudá-lo na sua recuperação. Isso parece contra-intuitivo. Parece um remédio ruim.”

O incidente provocou uma nova onda de protestos nos Estados Unidos, com o pai de Blake discursando em uma marcha do Black Lives Matter, em Washington, e uma greve no mundo dos esportes. Horas depois de times da NBA anunciarem um boicote a jogos, as ligas de beisebol e futebol e uma importante tenista também pararam suas atividades na quinta-feira.

Na quarta-feira 26, um jovem de 17 anos foi preso em Wisconsin por suspeita de homicídio. Duas pessoas morreram em uma manifestação e uma terceira ficou gravemente ferida durante esta semana.

  • Autoridades disseram que o policial Sheskey e um colega que o acompanhava foram colocados em licença administrativa. Demais policiais envolvidos no ato serão identificados em breve, de acordo com o procurador-geral do estado.

    A família de Blake disse que os tiros provavelmente o deixariam paralisado da cintura para baixo. A CNN relatou que o tio de Blake disse que eles estão esperançosos de que ele possa ter “uma grande recuperação”.

    “(Sua recuperação) vai ser lenta, progressiva, mas ele é um homem jovem e resiliente”, disse Justin Blake. “Ele tem todas as chances, como qualquer outra pessoa, de mudar as coisas.”

    (Com AFP)

    Continua após a publicidade
    Publicidade