Homem abre fogo em escola primária nos EUA

Cerca de 30 pessoas morreram, incluindo crianças e o suspeito de ser o atirador

Por Da Redação - 14 dez 2012, 13h46

“Os professores nos disseram para nos amontoarmos em um canto. Todos nós ouvimos o barulho dos tiros e começamos a chorar. Então, os professores pediram para que fôssemos para a sala da administração, onde ninguém poderia nos encontrar. Em seguida, um policial nos falou para corrermos para o lado de fora”

Um homem armado entrou em uma escola de educação primária em Newtown (Connecticut), na região nordeste dos Estados Unidos, e deixou cerca de 30 mortos, incluindo perto de 20 crianças. Segundo a imprensa local, citando uma fonte da polícia, o atirador é um dos mortos. A rede CBS News afirma que 27 morreram no incidente, inclusive 18 crianças.

O suspeito que morreu na escola se chamava Ryan Lanza, afirmou a rede CNN. Há informações de que ele teria aproximadamente 20 anos e que entrou na escola vestido de preto, carregando duas pistolas de nove milímetros. Informações preliminares ainda não confirmadas indicam que o atirador morto seria pai de um aluno do colégio. A mãe do atirador era professora na escola e está entre os mortos, informaram as redes de TV americanas.

A rede CBS informou que um corpo foi encontrado durante uma busca em uma residência que teria ligação com o atirador que morreu. A emissora afirmou ainda que uma pessoa suspeita de também ter participado do ataque foi detida.

Publicidade

A polícia recebeu o aviso sobre os tiros pouco após o início das aulas desta sexta-feira, por volta das 9h40 da manhã, no horário local. As primeiras informações divulgadas pelos jornais locais indicam que duas armas foram encontradas pela polícia. Os alunos da escola Sandy Hook, de entre 5 e 10 anos de idade, foram escoltados para fora do prédio pelos professores.

O hospital Danbury recebeu três pacientes oriundos da escola, disse uma porta-voz do hospital à NBC Connecticut. Imagens de TV mostraram a polícia e ambulâncias no local do tiroteio, e pais correndo em direção a escola. A polícia determinou o fechamento de todos os colégios da região “até que se saiba com clareza” qual é a situação.

Os Estados Unidos já tiveram uma série de tiroteios em locais públicos este ano. Mais recentemente, um atirador abriu fogo em um shopping center do Oregon, matando duas pessoas, e depois se suicidou. O pior ataque ocorreu em julho em uma sessão da meia-noite de um filme de Batman, no Colorado, que matou 12 pessoas.

O caso com o maior número de mortos da história dos Estados Unidos ocorreu em abril de 2007, na Universidade de Virginia Tech, em Blacksburg, no estado de Virgínia. Cho Seung-Hui, um aluno da universidade, matou 32 pessoas antes de se suicidar.

Publicidade

(Com agência EFE)

Publicidade